Corpo de comerciante que foi estrangulada com cinto pelo vizinho é sepultado

Compartilhe esta notícia!

Um crime chocou a pequena Santo Antônio do Aracanguá, cidade com pouco mais de oito mil habitantes e localizada na região de Araçatuba. A comerciante Rosineia Rodrigues dos Santos, de 42 anos, foi estrangulada com um cinto pelo vizinho, o funcionário público municipal da prefeitura de Guararapes, Danilo de Oliveira Ferreira, de 25 anos. De acordo com a Polícia Civil, o assassinato brutal teria ocorrido depois que a vítima flagrou o autor no quintal. Ele tinha a intenção de praticar um furto na residência.

Tudo começou na noite da última terça-feira (12). A comerciante passou o dia trabalhando na padaria que tomava conta junto ao companheiro. Os dois eram casados, mas moravam em casas separadas. Por volta das 20h, o casal jantou no estabelecimento comercial. Foi, então, que a vítima disse que iria para a casa, tomar banho e dormir depois de mais um dia cansativo de trabalho.

Era noite de semifinal pela Libertadores com o jogo entre Palmeiras e River Plate. O companheiro de Rosineia sempre tinha o costume de acompanhá-la até a residência, mas naquele dia decidiu ficar com o filho para assistir a partida. A mulher estava sozinha no imóvel quando o crime aconteceu.

PULOU O MURO

Por volta das 22h, o suspeito teria pulado o muro da residência para praticar o furto. As imagens de uma câmera de segurança de outra casa flagrou o momento em que ele passa pela rua em atitude suspeita. Já no quintal, a comerciante teria se deparado com o indiciado. Ela gritou ao ver a situação e foi surpreendida pelo rapaz.

A fim de tentar calá-la, o investigado começou a estrangulá-la com um cinto encontrado no quarto da vítima. Ao perceber que a vítima já estava morta, ele teria permanecido dentro da casa por mais alguns minutos. Ele arrumou a cama, como se nada tivesse acontecido, abriu o veículo Honda/Civic pertencente à comerciante, colocou o corpo dela dentro do porta-malas e saiu.

RODOVIA

Depois de sair com o carro da vítima, Danilo seguiu no sentido de Araçatuba pela rodovia Elyéser Montenegro Magalhães (SP-463). Ele contou em depoimento aos investigadores que jogou o celular e o dinheiro da vítima durante o trajeto. Alguns minutos depois, já em Araçatuba, o jovem parou o carro em uma alça de acesso da rodovia Marechal Rondon (SP-300) perto de um motel.

Ele tirou o corpo de Rosineia do porta-malas e jogou em uma ribanceira existente no local. Em seguida, o suspeito voltou para Santo Antônio do Aracanguá, deixou o carro na garagem da casa da comerciante, trancou todas as portas e foi embora.

SUMIÇO

O companheiro de Rosineia foi o primeiro a sentir falta da mulher, já que ela chegava muito cedo para trabalhar na padaria e não tinha aparecido até as primeiras horas da manhã de quarta-feira (13). Ele foi até a casa dela e não desconfiou de nada até então, já que o imóvel estava trancado e não havia nada suspeito lá dentro.

Mas, ao verificar as imagens das câmeras de segurança de uma vizinha, ele percebeu que algo de ruim tinha acontecido. Por isso, o fato foi comunicado à Polícia Civil da cidade, que imediatamente analisou as imagens e chegou até o principal suspeito por meio das características: o vizinho de Rosineia.

Ao ser abordado e questionado a respeito do assassinato, Danilo confessou tudo e detalhou como matou a comerciante. Ele levou as equipes policiais até o local onde jogou o corpo da vítima já no fim da tarde de quarta. O local teve que ser isolado para o trabalho da perícia técnica e um laudo deverá ficar pronto em até 30 dias. Depois, o corpo foi encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal) e passou por exame necroscópico. O médico legista confirmou que a morte foi causada por asfixia mecânica, mas descartou que Rosineia tenha sido abusada sexualmente pelo autor.

O funcionário público municipal passou a noite na carceragem da CPJ (Central de Polícia Judiciária) de Araçatuba e foi transferido na manhã dessa quinta-feira (14) para a cadeia pública de Penápolis. O delegado responsável pelas investigações registrou o boletim de ocorrência como homicídio qualificado, mas pode mudar a tipificação para latrocínio, ou seja, roubo seguido de morte, já que o celular e o dinheiro da mulher não foram localizados. O caso ainda segue em investigação.

O corpo da comerciante foi liberado pelo IML já durante o fim da manhã. O velório começou durante a tarde e o sepultamento ocorreu no fim do dia no cemitério de Santo Antônio do Aracanguá.

 

 


Compartilhe esta notícia!

Veja também

PM prende rapaz que roubou posto e localiza dinheiro na cueca

Compartilhe esta notícia!Um rapaz de 18 anos foi preso em flagrante na tarde de domingo …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *