21.5 C
Araçatuba
terça-feira, agosto 16, 2022

RASCUNHAR O FUTURO

 

PEDRO CÉSAR ALVES

De repente acordamos e chegamos ao fim de mais um ano: festas natalinas, festas de entrada do ano novo – e fica uma pergunta: o que mudou em nossas vidas? Ou, o que fizemos para mudar – para não ser tudo igual? E, pensando em tudo isso, está mais do que na hora de rever alguns conceitos (aliás, quase todos!).

A mudança começa por ‘querer mudar’ – e isso é interessante quando ocorre, porque há um sinal de que houve uma reflexão, de que a partir desta reflexão sentimos a necessidade de mudar – e toda mudança traz em si situações desafiadoras. E situações desafiadoras levam-nos a superar o que achávamos impossível até então.

Talvez seja neste momento do ano, neste momento de reflexão, a hora de estabelecer determinadas regras para alcançar os objetivos pensados – ‘rascunhar o futuro’. Rascunhar no sentido de tentar programar as melhoras, porque querer é um dos passos (o primeiro), depois vem planejar e executar (e, se possível: rever os caminhos, os rascunhos, após determinado tempo de execução).

Quando se estabelece metas a serem atingidas, fica claro que foi estabelecido o ponto de partida e o ponto de chegada: e na chegada sempre existe a comemoração – mas esta comemoração tem que estar acompanhada (posteriormente) de reflexões sobre o caminhar. São os rascunhos sendo passados a limpo, sendo revistos, avaliados.

Partindo destes princípios: querer, elaborar, executar, reconsiderar – creio que o ano que há pouco se iniciou tem muito a oferecer (não o ano em si, mas as nossas atitudes) – vale lembrar que ter a mente forte, focada no que determinamos fazer, é ponto chave para fazer as coisas acontecerem. Lembrando que em Tiago, capítulo 02, versículo 26, diz: ‘a fé sem obras é morta’ – ou seja: precisamos acreditar, não apenas acreditar, mas fazer com o que acreditamos que dê certo (colocar a mão na massa, realizar – e não esperar).

Já lemos muito (e até ouvimos) que ‘as mudanças’ não caem do céu. Precisamos aprender que é necessário empenho: se eu quero ler uma determinada obra, não adianta apenas comprá-la. Preciso comprar e abrir para realizar a leitura – e, ao analisarmos este simples fato, notamos que elaboramos algumas etapas e só ficará pronto todo o processo ao terminarmos a leitura e, a partir desta leitura, realizarmos uma reflexão (reconsiderações – porque toda leitura realizada, feita uma reflexão, gera mudanças).

Para o ano que há pouco se iniciou estabelecer os rascunhos faz parte de tentar uma vida com grandes acontecimentos – certo de que a vida é cheia de acontecimentos, mas poder proporcionar ainda mais, é melhor. Viver uma vida de sucesso faz parte do ‘pacote’ que o Criador deu ao Homem ao criá-lo. Executar bem esse pacote é dever do Homem: reflexões, reflexões e mais reflexões levarão o Homem ao seu destino: o sucesso!

Aos nossos leitores desejamos grandes leituras, grandes realizações – porém, vale lembrar que apenas no dicionário o sucesso vem antes do trabalho. Ou seja, primeiro trabalhamos e só depois alcançaremos o sucesso que tanto desejamos. E o ano, a vida, está a recomeçar (sempre): o mundo quase parou nestes dois últimos, mas sempre a recomeçar, e a todo vapor, dependendo apenas e exclusivamente de nós – e sem exageros! Sucesso e prosperidade a nós!

Pedro César Alves é professor, escritor, jornalista.

http://aprendizdeescritor3.webnode.com

Ultimas Noticias