PONTO DE VISTA

Janeiro Branco, Qualidade de Vida e Saúde

 

Mês de janeiro, início do ano, pensamentos positivos, sensações boas, projetos de mudanças, novo estilo de vida, enfim momento para recomeçar um novo ciclo, por vezes, melancólico pelas reflexões feitas em relação ao passado, mas com expectativas otimistas para o presente que se inicia. Papel rascunho à mão e aproveitar a oportunidade para registrar desejos, sonhos, metas, cuidados, etc.

Foi neste contexto que no ano de 2014, na cidade de Uberlândia (MG), alguns profissionais, perceberam a oportunidade para pôr sob luzes uma temática ainda impregnada por tabus, então se propuseram a promoverem campanhas e palestras. Atualmente, a campanha ganhou inúmeros adeptos e atualmente acontece em vários estados e cidades do país, a exemplo de Campinas (SP) que no ano de 2016 promulgou uma Lei municipal estabelecendo ações educativas e preventivas voltadas às questões postas em relevância.

JANEIRO BRANCO – Mês oportuno para projetar em um papel em branco as esperanças e planos, portanto, uma maneira para cuidar de si, especificamente, da Saúde Mental, sem preconceitos, discriminação e receios. Não há porque, nos dias atuais, associar os cuidados com a saúde do EU psicológico (mental e emocional) à pessoa que está “louca”, “pirada”, “doente”. Afinal, se fosse assim somente os “loucos” teriam necessidade de cuidar do EU Biológico, Social e Espiritual, ou seja, respectivamente, fazer atividade física e boa alimentação, ter bons vínculos sociais e praticar uma religiosidade ou espiritualidade.

O que se sabe, pelos estudos científicos e cultura dos povos, é que todos precisam de cuidados com a saúde mental, sobretudo, vivenciando em um mundo tecnológico, competitivo, sem limites, ao trabalho, à informação, às demandas de toda ordem, as quais levam à fadiga do organismo gerando um desequilíbrio biológico, mental e social.

As pessoas em boas condições de saúde física (EU Biológico), que fazem boa alimentação, atividade física e não estão sob tratamento medicamentoso podem, por outro lado, estar com o EU Psicológico completamente desequilibrado e sofrendo emocionalmente (ansiedade, fobia, luto, medo, depressão, pânico, tristeza, angústia, vazio, agressividade, etc), a ponto de adoecer fisicamente.

Com estas reflexões, resta uma questão: Quais os cuidados e como você protege sua saúde mental?

Creio que não haja uma resposta pronta, e por esta razão proponho uma reflexão sobre “Saúde Mental” para saberem mais sobre sua importância e associação a um estado de equilíbrio que favorece o bem-estar e o prazer pela vida. Uma boa maneira, para conhecer e conscientizar, está na leitura sobre as publicações acerca da temática, na participação de campanhas, outras que de fato promovem mudanças, a exemplo do trabalho psicoterapêutico dos psicólogos e psiquiatras, afinal os “normais” também almejam Saúde e Qualidade de Vida.

 

Coronel PM PAULO AUGUSTO LEITE MOTOOKA

Comandante da Polícia Militar Ambiental do Estado de São Paulo

Mestre e Doutor em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública

Bacharel em Psicologia, Direito e Especialista em Direito Ambiental

Veja também

Moradores cobram recapeamento de rua

DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA Moradores da Rua Antonio Storti, no Jardim Morumbi, em Araçatuba, procuraram …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *