Home Plantão Policial Após confusão durante abordagem policial em praça, busto de Getúlio Vargas é pichado

Após confusão durante abordagem policial em praça, busto de Getúlio Vargas é pichado

7 minutos de leitura
Compartilhe esta notícia!

Depois de uma abordagem policial na noite da última quinta-feira (12) na Praça Getúlio Vargas, em Araçatuba, o busto em homenagem ao político foi pichado com dizeres contra a Polícia Militar. Entre as frases pichadas estão: “Fora PM” e “polícia racista”. O ato de vandalismo será investigado pela Polícia Civil.

A confusão começou por volta das 19h da última quinta. Segundo informações do boletim de ocorrência, os policiais militares receberam denúncia de que algumas pessoas estariam próximas à estátua de Getúlio Vargas fazendo o uso de drogas perto de crianças.

Os PMs chegaram até a praça e alegaram terem sentido um forte cheiro de maconha. Como havia muita gente no local, eles separaram homens e mulheres. Em seguida, pediram para que todos tirassem os pertences que carregavam nos bolsos e bolsas.

Nesse instante, ainda segundo o registro policial, uma jovem de 24 anos teria ficado nervosa com a situação e, em um primeiro momento, não queria entregar a pochete que carregava. Algum tempo depois, ela entregou e lá dentro a polícia teria encontrado três porções de maconha e um dichavador.

Ao tomar conhecimento de que teria que acompanhar a equipe até a delegacia, a mulher teria começado a ofender os policiais com xingamentos. Outras pessoas do grupo também teriam se exaltado, por isso houve a necessidade do uso de algemas. Além da autônoma, outras duas pessoas foram conduzidas à Central de Flagrantes.

Lá chegando, o delegado plantonista ouviu todas as partes e registrou o caso como desacato, resistência e uso de drogas. Foi requisitado exame de corpo de delito aos envolvidos no IML (Instituto Médico Legal). Algumas horas depois, o trio foi liberado. O caso segue em investigação por meio de um inquérito.

REVOLTA

Nas redes sociais, um vídeo publicado mostra o momento da abordagem policial e viralizou na internet. A reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL apurou que os jovens que ali estavam fazem parte de um grupo chamado ‘Batalha da Caveira’, que surgiu em 2016.

Na data dos fatos aconteceria a comemoração de quatro anos com uma atividade de rimas para enaltecer a cultura hip-hop. Alguns integrantes do grupo contaram que as agressões começaram depois que a jovem se recusou a ser revistadam a não ser por uma policial feminina, que até aquele momento não estava no local.

PICHAÇÕES

Na manhã desse sábado (14), o busto do ex-presidente Getúlio Vargas amanheceu pichada. Os autores escreveram palavras contra a ação da Polícia Militar e, inclusive, acusou a instituição de ser racista, já que a maioria dos integrantes do grupo é afrodescendente. A reportagem apurou que a Prefeitura de Araçatuba seria comunicada a respeito dos fatos e registraria um boletim de ocorrência de vandalismo.

POSICIONAMENTO

Por meio de uma nota divulgada, a Polícia Militar informou que cumpriu o dever de restaurar a ordem, já que recebeu a denúncia do uso de drogas na praça e perturbação de sossego. “No momento em que os policiais iriam fazer a condução da jovem à distrital de polícia houve tumulto, várias pessoas tentaram livrar a mulher das mãos dos policiais militares, uma jovem chegou a desferir um chute na porta da delegacia de polícia”.

A PM também esclareceu que dois policiais militares sofreram lesões e passaram por atendimento médico no Pronto-Socorro Municipal. Um procedimento investigatório foi aberto para apurar as circunstâncias dos fatos. “A Polícia Militar reafirma seu compromisso com a defesa da vida, da integridade física, coma dignidade da pessoa humana em fazer cumprir as leis”, concluiu a nota.

 

 

 


Compartilhe esta notícia!