24.1 C
Araçatuba
quarta-feira, agosto 17, 2022

Graduações em engenharias garantem melhores salários, afirma Semesp

Pesquisa realizada pelo Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior (Semesp) e divulgada nesta quarta-feira (18) mostra que a maioria das pessoas que concluiu o ensino superior nos últimos dois anos ganha salário abaixo de R$ 3 mil. A formação que garante os melhores salários são os bacharelados em engenharia e as licenciaturas, que são os cursos que formam professores, são as mais desvalorizadas.

O resultado aponta que 50% dos profissionais formados em curso de bacharelado recebem abaixo de R$ 3 mil, sendo que na licenciatura esse percentual sobe para 88%. De acordo com o diretor do Semesp, Rodrigo Capelato, a diferença entre os salários de recém formados em universidades públicas ou privadas não é significativa, mas destaca que o grande desafio é elevar a renda de quem já trabalha e estuda para melhorar de vida. “As pessoas estão se formando e os salários não estão subindo tanto assim”, disse.

As principais escolhas dos estudantes que estão ingressando na vida acadêmica são as áreas clássicas do bacharelado, como direito, administração, engenharias e ciências sociais, que correspondem a 40% da demanda. A melhora renda é a dos engenheiros: 32,1% ganham entre R$ 3 mil e R$ 5 mil, sendo que 10% recebem de R$ 10 mil a R$ 15 mil. Dos formados em administração, 15,99% têm salário entre R$ 3 mil e R$ 5 mil.

GARANTIA DE EMPREGO

A pesquisa do Semesp mostra também que 47,09% dos profissionais trabalham na área de formação, 34,3% não trabalham e 18,7% atuam em uma área diferente da que estudou. Entre os que responderam que não trabalham, 38% dedicam-se à pós-graduação; 12% fazem outra graduação e 48,3% não têm ocupação.

A opinião dos participantes da pesquisa é de que as instituições de ensino devem fazer mais parcerias com empresas, investir em aulas práticas e ampliar a oferta de estágios. O Semesp entrevistou 1445 participantes de 135 cursos diferentes em todo o Brasil; destes, 1089 são formados e 356 abandonaram o curso ou ainda estudam.

FERNANDO VERGA – Araçatuba

Ultimas Noticias