13.9 C
Araçatuba
segunda-feira, maio 23, 2022

FÁBIO ABRITTA: O DESAFIO DE GERIR ESTRADAS NO BRASIL

O trabalho do engenheiro civil Fábio Abritta Filho é reconhecido no meio do transporte. Há várias décadas trabalha com estradas. Foi na Dersa (Desenvolvimento Rodoviário S/A), empresa estatal vinculada à Secretaria de Transportes e Logística, que Abritta viu abrir os caminhos da profissão. Acompanhou a recuperação da Anhanguera e depois iniciou as obras da Bandeirantes. Hoje, após passar por várias concessionárias de rodovias, swendo reconhecido como um dos mais importantes gestores do setor, ele está de volta à Via Rondon, onde esteve no período de 2009 a 2011. Realizado profissionalmente, Abritta dedica as horas vagas às netas Leticia, Lais e Rebecca. Ele tem também um hobby: motocicletas.

Fábio Abritta Filho nasceu em Araraquara no dia 27 de outubro de 1950. Formou-se em engenharia civil pela Faculdade de Araraquara. Fez especialização em transportes pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP) no período de 1985 a 1987. Depois, fez MBA em Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas no período de 2005 a 2006. No entanto, é na engenharia que se realizou como profissional.

“Meu primeiro emprego foi em construções de rodovias e então passei a trabalhar no setor e me dei muito na minha escolha”, diz Abritta sobre a opção por trabalhar na área de rodovias.

O engenheiro relembra quando foi para a Dersa. “Ao ir para o setor estatal de rodovias, à época na Dersa, iniciamos a restauração da Via Anhanguera, até então sob os cuidados de DER (Departamento de Estradas de Rodagem, uma autarquia da Secretaria de Transportes), e iniciamos a construção da Rodovia dos Bandeirantes onde a evolução da engenharia rodoviária ganhou novos espaços, como o atendimento aos usuários com ambulâncias, guinchos, socorro mecânico, etc”, recorda Fábio Abritta.

Segundo Abritta, A Dersa foi um marco na engenharia rodoviária, com novos conceitos de planejamento, projetos, construção e principalmente operação de rodovias. “É uma estatal do Estado de Sao Paulo e que muito contribuiu nas inovações rodoviárias. Foi criada em 1969 pelo governo Laudo Natel e permitiu a criação de um novo now how rodoviário e que consequentemente permitiu a evolução para as concessões de rodovia implantados pelos governos estaduais e federal”.

Para Fábio Abritta, a Dersa foi precursora no processo de modernização das rodovias, tanto no sistema de construção e de gestão, além dos serviços oferecidos aos usuários.

De acordo com Fábio Abritta, assumir a gestão da Nova Dutra “foi um dos maiores desafios, pois a rodovia se encontrava em situação muito ruim. Sua transformação desde 1996 foi inacreditável em segurança e recuperação. Hoje a rodovia está irreconhecível perante o que era anteriormente”, afirmou o engenheiro.

Segundo Abritta, trabalhou na Via Rondon entre 2009 e 2011, no início da concessão e retornei neste ano a convite. “Aceitei o convite por ser um trabalho muito apaixonante de prestaç~], aceitando face a ser um trabalho muito apaixonante de prestação de serviços publicos”, disse o diretor da Via Rondon.

Para o especialista em transporte, o maior desafio de trabalhar na área é conseguir atender aos usuários, ao poder concedente e acionistas, bem como manter a motivação da equipe para alcançar os resultados. Na avaliação de Abritta, a maior motivação “é saber que no final do dia domos uma equipe que fez a diferença”.

FAMÍLIA
Fábio Abritta é casado com Adriana Almeida. Ele tem duas filhas: Giuliana e Fabiana. Nas horas vagas, gosta muito de cuidar das netas Letícia, Laís e Rebecca.

CARREIRA
O engenheiro civil Fábio Abritta Filho desenvolveu sua carreira em empresas nacionais, estatal e privadas, nos segmentos de projeto, construção, operação, manutenção e concessão de rodovias. Tem larga experiência em administração de rodovias, respondendo pelas áreas técnica, administrativa e operacional, liderando equipes multifuncionais das áreas de projetos, obras, operações, conservação, manutenção eletroeletrônica, sistemas ITS de Monitoramento de Rodovias (pedágios, pesagem de veículos, Centros de Controle Operacional), segurança viária, sinalização e projetos. Tem vivência em processos de reorganização do atendimento rodoviário operacional, incluindo aspectos jurídicos, administrativos e comerciais; participação no desenvolvimento e implantação de projetos de excelência empresarial voltados para mudança do modelo de gestão, de planos estratégicos, desenhados para assegurar redução de custos com novos modelos operacionais e garantindo a qualidade do serviço prestado e satisfação dos clientes.

Abritta atuou em várias empresas em diferentes regiões do país, além de ter realizado viagens de estudos e negócios para Europa, Estados Unidos, México, Canadá, Austrália, Nova Zelândia e América do Sul.

Da Redação

Ultimas Noticias