PONTO DE VISTA

Compartilhe esta notícia!

O PULSO AINDA PULSA E A DEMOCRACIA CONTINUA MAIS VIVA DO QUE NUNCA

Nada na vida é absoluto. Somente a morte, e mesmo assim, podemos postergá-la por um bom tempo. Há um ciclo para tudo, ou melhor, uma exaustão ou um desgaste natural dos acontecimentos o qual em um bom vernáculo, podemos chamar de fadiga de material. Elucubrações á parte, faço uma reflexão sobre um regime de governo que ultimamente anda um pouco desacreditado; seu nome é Democracia. Percepção minha em razão de vários debates e análises de escritores e cientistas políticos que acreditam que ela está com os dias contados, devido os sucessivos ataques sofridos nesta última década.
Muitas vezes estrategicamente enfraquecendo as instituições de freios e contrapesos do Estado de Direito, outras criando obstáculo para o trabalho da imprensa ou com a disseminação maciça de fake news em conjunto com enxurradas de desinformação deliberadamente criadas para confundir a sociedade. Minuciosamente, o tema foi debatido com muita precisão. Não faltaram best sellers, como: Democracia em risco? (vários autores), Como a Democracia chega ao fim, de David Runciman, Como as Democracias morrem, de Steven Levitsky e Daniel Ziblatt, entre outros.
Com a ascensão de líderes autoritários em vários países importantes do mundo, estas literaturas foram unânimes em previsões catastróficas quanto á possibilidade do fim do regime democrático num futuro não muito distante. Entretanto, mesmo com todas as mudanças no rito das campanhas e das eleições, em razão da pandemia de Covid 19, que já matou mais de 170 mil pessoas, a democracia venceu. Passamos com louvor no primeiro teste ocorrido no último dia 15 de novembro (1º turno) das eleições municipais. E, tudo indica que o 2º turno (cidades com mais de 200 mil eleitores), a votação transcorrerá em um céu de brigadeiro.
Embora as eleições municipais destaquem somente as questões locais e não podemos açodadamente tê-la como parâmetro comportamental para as eleições de 2022, ficou cristalino que o eleitor escolheu lideranças mais moderadas, dando um recado através das urnas que ele se cansou da gritaria, da futilidade, de grupos minoritários que destilam ódio nas redes sociais e dos pseudo influenciadores digitais que não apresentaram ideias e projetos para o bem estar de seus munícipes. Arrisco a dizer que mesmo com todas as atipicidades, essas eleições entrarão para os anais da ciência política, principalmente pela renovação e da diversidade alcançada através do voto.
A diversidade, comprovadamente tem seu valor instrumental, tanto nos poderes públicos, quanto nos poderes privados e agora na política partidária, que colaborará muito com diferentes ideias e perspectivas de soluções rápidas aos problemas apresentados. Araçatuba, importante cidade do centro oeste paulista, sede de região administrativa não ficou devendo nada ao cenário politico nacional, dando sua contribuição democrática quanto o alto índice de renovação no Parlamento Municipal com a presença relevante da diversidade, escolhida pelos eleitores araçatubenses. Por fim parabenizo Prefeitos e Vereadores (as) eleitos, desejando a todos boa sorte e sucesso na gestão 2021 á 2024 e mais do que nunca, congratulamos a DEMOCRACIA em Araçatuba.

EVANDRO EVERSON DOS SANTOS é policial militar aposentado e economista


Compartilhe esta notícia!

Veja também

Região de Araçatuba recebe cerca de 20 mil doses de vacinas contra a covid-19

Compartilhe esta notícia!No final da tarde desta quarta-feira (7), o Departamento Regional de Saúde de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *