24.1 C
Araçatuba
quarta-feira, agosto 17, 2022

Chegada da Páscoa traz oportunidade para empreender

Além das questões religiosas que envolvem a data, a Páscoa é muito conhecida pela tradição de trocar ovos de chocolate. Pensando nisso, cada vez mais pessoas estão se aventurando na produção e venda desses produtos, a fim de oferecer aos clientes ovos artesanais, inovadores e muito recheados.
É o caso do gastrólogo Mateus Campos, que, com apenas 26 anos, já é dono de uma das mais conceituadas confeitarias de Araçatuba: a Boleiro. Ele se formou em Gastronomia pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) de Águas de São Pedro e, após voltar, em 2017, de um intercâmbio feito em Dublin, onde trabalhava em um restaurante, começou a vender bolos no pote, junto a um amigo, no calçadão de Araçatuba. Com o sucesso das vendas, ele começou, no dia 12 de junho de 2017, a investir no Instagram e criou o perfil @b0leir0 que, hoje, já conta com 13 mil seguidores.

boleiro
ENCOMENDAS – O ovo trufado de cookies and crem com nutella da confeitaria Boleiro foi um dos mais pedidos para esta Páscoa

Por ainda não contar com loja física, Mateus usa essa conta no Instagram como sua vitrine. Segundo ele, a Páscoa e o Natal são as melhores épocas do ano para faturamento. “Eu comecei essa Páscoa com um preparo para 200 ovos e, faltando um mês para Páscoa, já esgotamos essas unidades. Estamos aumentando vagas e planejando novos produtos para atender à demanda e garantir a qualidade dos nossos produtos”, conta. Atualmente, a confeitaria vende, em média, 100 sobremesas diárias.
A doceira Vanessa Fortunato também sente no bolso o aumento das encomendas nesse período. Segundo ela, seu lucro na Páscoa costuma ser pelo menos três vezes maior que em outros meses do ano. “Eu comecei a vender doces quando meu filho tinha apenas 5 meses e ficou muito doente. Diante dos gastos que precisei ter com médicos e medicamentos, comecei a fazer trufas e pães de mel para conseguir uma renda extra. Isso foi há, aproximadamente, 7 anos. Atualmente, os doces são minha única renda”, explica.
Ela conta que, embora cada vez mais pessoas estejam começando a fazer ovos de Páscoa e chocolates, ela não as vê como concorrência. “Cada um faz de um jeito, cada um trabalha de uma forma. Penso que, nesse mercado, ninguém tira nada de ninguém. Cada um tem seus clientes e seus diferenciais”, afirma.

Paula Santos
ARAÇATUBA

Ultimas Noticias