OFERTA - Indústria responde por 75% dos empregos criados em Birigui, que lidera o ranking regional

Municípios da região mantêm saldo positivo de emprego no ano e Birigui lidera

DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA

Conhecida pela força de sua indústria e oportunidades de negócios, Birigui se destacou na geração de empregos na região, acumulando saldo positivo de 2.276 postos de trabalho no ano. Os maiores municípios da região mantiveram saldo positivo, mas tiveram queda no mês de setembro, conforme dados do Novo Caged, divulgado nessa terça-feira (26) pelo Ministério do Trabalho e Previdência.

Birigui foi a única cidade, entre os maiores municípios, que fechou com saldo positivo no mês de setembro. É um resultado que evidencia a capacidade da economia biriguiense, impulsionada por políticas públicas de desenvolvimento econômico local implementadas pela Prefeitura Municipal através da SDE (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico).
Segundo o economista e especialista no estudo de economia local e regional, professor Marco Aurélio Barbosa de Souza (FAC-FEA), os resultados apresentados pelas maiores cidades da região, para o mês de setembro, com a exceção da cidade de Birigui, destoam do observado para o conjunto da economia brasileira, que fechou o nono mês do ano com saldo positivo de 313.920 posto de trabalho.
“Nota-se que as maiores cidades regionais estavam mantendo uma trajetória de sucessivos saldos positivos de empregos, porém, o mês de setembro, representou uma mudança, cuja tendência dependerá do desempenho nos próximos meses”, disse Souza.
Apesar do resultado desfavorável no mês, os municípios mantêm o saldo positivo no acumulado de 2021, sendo geralmente, o último trimestre do ano (outubro, novembro e dezembro), favorável à empregabilidade em decorrência do aquecimento do mercado e das contratações dos setores do comércio e serviços.
Conforme dados divulgados pelo Caged, Lins teve saldo negativo de 208 postos de trabalho em setembro e saldo positivo de 1.126 no ano. Andradina teve saldo negativo de apenas 38 postos de trabalho, mas no ano o saldo positivo é de 1.397. Penápolis teve saldo negativo de 148 em setembro e positivo de 1.000 no acumulado do ano. Araçatuba registrou saldo negativo de 197 em setembro positivo de 1.243 no acumulado do ano. Já Birigui foi o grande destaque, com 635 novos postos de trabalho em setembro, aumento para 2.276 o acumulado do ano. Em Lins e Andradina, a indústria foi o setor que mais demitiu. Já em Araçatuba foi a construção e Penápolis, o setor de serviços. Em Birigui o setor que mais contratou foi a indústria.
Os principais empregadores de Lins e Andradina são frigoríficos e o setor não vive um bom momento devido ao embargo das importações de carne pela China. Isso pode estar refletindo diretamente na oferta de empregos. Já o setor calçadista, base da economia biriguiense, está aquecido, aumentando a oferta de trabalho.

SETOR INDUSTRIAL BIRIGUIENSE
Birigui, cidade líder do ranking regional na geração de empregos, teve seu dinamismo impulsionado pelo setor industrial, que foi o responsável por 75,4% do resultado acumulado no ano pelo município.
Além das potencialidades de sua cadeia produtiva calçadista que destacam a cidade no mundo recebendo o título de Capital Brasileiro do Calçado Infantil, notou-se o dinamismo de outros segmentos industriais que vem ganhando robustez nos últimos anos ampliando e diversificando sua estrutura produtiva: máquinas e equipamentos; móveis; papel e produtos de papel; produtos de metais; impressão e reprodução de gravações; máquinas, aparelhos e matérias elétricos; produtos têxteis; entre outros.

 

ESTÍMULO – Professor e economista Marco Aurélio Barbosa de Souza destaca as políticas de estímulo

Veja também

Central de Agendamento de teste Covid-19 será desativada

DA REDAÇÃO – TRÊS LAGOAS A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informa que devido ao …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *