OITO - Trânsito de Araçatuba teve oito vítimas fatais em 2021

Motos são principais responsáveis por acidentes fatais em Araçatuba; carros fazem mais vítimas na região

Compartilhe esta notícia!

DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA

As motocicletas foram as maiores responsáveis por vítimas fatais no trânsito de Araçatuba nos últimos anos. Segundo levantamento feito pela reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL junto ao Infosiga SP, base de dados do governo do estado, mais de 38% das vítimas que perderam a vida em acidentes ocorridos em vias públicas estavam conduzindo motos. 

 

De acordo com o levantamento, foram 119 pessoas que faleceram após acidentes de trânsito em Araçatuba de janeiro de 2015 até o mês de julho de 2021. Dentre estas, 46 morreram por causa de acidentes envolvendo motocicletas. Foi o veículo que mais causou vítimas fatais, seguido pela bicicleta, com 30 casos; 20 envolvendo pedestres (atropelamentos) e 13 envolvendo condutores ou passageiros de automóveis. 

 

Os anos de 2018 e 2020 foram os mais fatais para motociclistas nas vias públicas de Araçatuba. Foram 10 pessoas que estavam conduzindo ou como passageiros em motos que morreram em acidentes de trânsito. O ano com o menor número de casos foi 2017, com 4. 

 

Em 2021, com apenas sete meses analisados, foram 4 vítimas fatais de acidentes com este tipo de veículo em Araçatuba. Isso representa metade das mortes no trânsito da cidade desde o começo do ano. Foram registrados 8 acidentes com vítima fatal até o último dia 31 de julho em Araçatuba. 

 

Região

 

A alta proporção de acidentes fatais envolvendo motos é observada também no município de Birigui, porém, em Andradina e Penápolis, a situação muda de figura, com os automóveis à frente em relação às motos. Já em Lins, o número de mortes no trânsito por motos é maior, mas com equilíbrio entre carros e pedestres. 

 

Em Birigui foram 95 acidentes fatais desde 2015 até julho de 2021 nas vias municipais, sendo que em 40 deles a vítima estava em uma motocicleta, o que representa 42% do total. Neste ano de 2021, a cidade registrou apenas dois casos fatais, os dois envolvendo condutores de motos. 

 

Em Lins, as motos também lideram este ranking negativo, tendo sido responsáveis por 19 óbitos desde 2015 até julho deste ano. Isso representa pouco mais de 29% dos 65 casos fatais do período. 

 

Em Andradina, as motos causaram 22 acidentes fatais neste período, porém os automóveis foram responsáveis por 23 casos; enquanto em Penápolis, foram 14 óbitos por acidentes com motos, contra 20 de carros e 18 de pedestres. 

 

Carros lideram estatísticas

 

A região administrativa de Araçatuba, que compreende atualmente cerca de 40 municípios, têm nos condutores de automóveis as suas maiores vítimas fatais. Exatamente metade dos acidentes ocorridos apenas nos sete primeiros meses de 2021 tiveram como vítimas fatais os condutores de automóveis.

 

Foram 64 acidentes com vítimas fatais, sendo 32 envolvendo condutores de automóveis. Neste caso, as motos vêm em segundo lugar, com 18 casos. São 5 casos de pedestres, 4 com caminhões, 2 com bicicleta, uma com ônibus e duas com outros tipos de veículos. 

 

Ao longo de toda a base de dados, desde janeiro de 2015, o número de acidentes fatais com carros também é maior, com 316 contra 244 das motos, 97 de pedestres, 92 de bicicletas, 36 de caminhão, 5 de ônibus e 37 de outros veículos.


Compartilhe esta notícia!

Veja também

Salsaretti deve gerar até 600 empregos diretos com aumento de linha de produção em Araçatuba

Compartilhe esta notícia!  A empresa Salsaretti, um braço do grupo Predilecta, em Araçatuba, anunciou nesta …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *