NA FRENTE - Indústria calçadista lidera as exportações de Birigui e representa maior fonte de postos de trabalho DIVULGAÇÃO

Birigui amplia mercado exportador e abre perspectivas de novos negócios

Compartilhe esta notícia!

DA REDAÇÃO – BIRIGUI

Quando o mercado interno não está aquecido devido à queda no poder de compra da população, uma das alternativas é buscar negócios no comércio exterior. Muitas empresas têm dificuldades nesta área. Em Birigui, no entanto, de janeiro a julho foram feitos negócios com 63 países diferentes, o que representa aumento de 28,57% em relação ao mesmo período do ano anterior. Com esse resultado, a balança comercial cresceu 8,58% no acumulado do ano. Assim, Birigui registrou superávit comercial de US$ 6.284 milhões nos sete primeiros meses deste ano, com exportações que somaram US$ 13.797 milhões e importações US$ 7.513 milhões. As informações foram divulgadas pelo Ministério da Economia.

Para o economista Marco Aurélio Barbosa de Souza, especialista no estudo de economia local e regional, os resultados apresentados pelas empresas biriguienses demonstram o potencial do município em ampliar sua presença no mercado internacional, trazendo efeitos multiplicadores positivos para o desenvolvimento local. 

Segundo o pesquisador, uma das grandes preocupações dos estudiosos em comércio exterior, quando é analisada a inserção internacional da economia brasileira, é a necessidade de diversificação dos países compradores, ou seja, ampliação dos mercados e também dos produtos exportados, para reduzir as vulnerabilidades da concentração em poucos mercados e produtos. Nesse sentido, a cidade de Birigui é um exemplo interessante de “case” de sucesso, pois ampliou o número de países compradores das exportações locais alcançando 63 nações. Os principais países compradores dos produtos locais no período foram: Argentina (13,7%); Equador (13,19%); Bolívia (12,64%), Tailândia (10,15%) e Chile (7,52%), conforme [dados compilados pelo Observatório de Inteligência Econômica da SDE (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico).

Além de ampliar os destinos, Birigui diversificou a pauta exportadora composta por calçados, transformadores elétricos e máquinas e equipamentos para agricultura. Portanto, um conjunto equilibrado e diversificado de produtos exportados. Calçados com sola exterior e parte superior de borracha ou plástico foram os principais produtos exportados, com vendas de US$ 4.177 milhões (30,28% do total exportado pela cidade). O segundo produto mais vendido foi calçados de borracha, plástico ou couro natural, totalizando US$ 2.724 milhões (19,75%). Na terceira posição do ranking dos principais produtos exportados aparecem os transformadores elétricos, com vendas de US$ 2.169 milhões (15,73%) e, em quarto lugar, máquinas e aparelhos para agricultura, com US$ 1.953 milhões (14,16%).

Para o prefeito Leandro Maffeis, o resultado da balança comercial mostra o potencial do empreendedorismo, a capacidade produtiva e a resiliência das empresas de Birigui, que estão conseguindo superar a crise e retomar o ritmo do crescimento econômico. “Esse resultado traz boas perspectivas para os próximos meses na geração de emprego e renda em nosso município, cujos resultados já estão se refletindo nas estatísticas do mercado de trabalho. Já temos novos empreendimentos vindo para Birigui, que irão reforçar nosso setor produtivo”, destacou.

 

DESAFIOS

O professor Marco Aurélio Barbosa de Souza explica que entre os grandes desafios atuais para o país e também para as cidades da região, em relação ao tema comércio exterior, é o aumento do número de empresas exportadoras, em especial, a inserção de micro e pequenas empresas no mercado internacional, para ampliação da base produtiva local exportadora. É uma estratégia importante para diversificar mercados, ampliar as oportunidades de escoamento da produção, a geração de receitas em dólares e, consequentemente, o aumento das oportunidades de emprego, renda e o desenvolvimento regional.

 


Compartilhe esta notícia!

Veja também

Balconista é preso com 85 tijolos de maconha

Compartilhe esta notícia!DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA O balconista G.G.S, 38 anos, residente em Goiânia (GO), …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *