22.8 C
Araçatuba
sábado, junho 25, 2022

Araçatuba tem maior transmissibilidade da covid; mais de 60 mil não completaram esquema vacinal

DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA

A região de Araçatuba apresenta, no momento, a maior taxa de transmissibilidade da covid-19 do estado de São Paulo. Os dados são de uma plataforma da Unesp / USP, que apontam o potencial de transmissão do vírus em cada região.

Em Araçatuba, essa taxa de transmissibilidade está em 1,74, o que significa dizer que a cada 100 pessoas infectadas pelo vírus, o potencial de transmissão delas é de mais 174 pessoas.

Em Araçatuba, a justificativa da saúde do município é de houve uma diminuição nos cuidados da população quanto à covid-19 após a diminuição do número de casos graves e mortes. Muitas pessoas largaram os hábitos de proteção, como o uso da máscara e o álcool em gel.

Recentemente, o município recomendou, através de decreto, o uso de máscaras em ambientes fechados. Outros municípios da região fizeram o mesmo, como Birigui e Guararapes. Nestes, houve apenas a recomendação, sem obrigatoriedade. 

Já em Glicério, a prefeitura foi um pouco mais rígida e exigiu novamente o utensílio dentro de estabelecimentos fechados. A mesma medida foi tomada em outros municípios do estado, como São José do Rio Preto, por exemplo. 

Outra justificativa da vigilância epidemiológica de Araçatuba para o aumento de casos é o número de testes que têm sido feitos. Segundo a vigilância, qualquer pessoa com sintomas gripais já é submetida à testagem e isso aumenta o índice de casos e transmissibilidade.

O último boletim de saúde divulgado pelo município, na sexta-feira (10), apontou que 116 pessoas se infectaram pela doença em 24 horas, com os casos de junho alcançando 1.320 ocorrências, com três mortes registradas até aqui.

Desde o mês de maio os casos tiveram alta. No mês passado foram 2.100 infecções, crescimento de mais de 700% em relação a abril, que teve 265. Em consequência disso, voltaram a ser registrados óbitos, sendo que quatro pessoas faleceram no mês passado, contra nenhuma em abril.

Vacinação

Boa parte dos pacientes que adquiriram casos graves da covid-19 não haviam completado o ciclo vacinal contra a doença.

Já há vários meses, Araçatuba vem mantendo uma média acima dos 60 mil faltosos de segunda e terceira dose do imunizante contra o coronavírus.

De acordo com dados da saúde divulgados na sexta-feira (10), são 11.372 pessoas na cidade que não voltaram para tomar a segunda dose da vacina. Já para a terceira dose, o número mais do que quadruplica, com 49.573 faltosos. 

A imunização contra a covid-19, em Araçatuba, ocorre no Hospital Municipal, de segunda à sexta, das 7h30 às 23h, e aos sábados, domingos e feriados, das 7h30 às 18h.

Também há o rodízio de vacinação nas UBSs. Às terças nas UBSs TV, Umuarama I, São José e Morada dos Nobres; quartas nas UBSs Turrini, Alvorada, Planalto e Iporã; quintas nas UBSs Águas Claras, Dona Amélia, Taveira e Centro; e sextas nas UBSs Maria Tereza, Atlântico, Umuarama II, São Vicente e Pedro Perri. 

O público-alvo da vacinação são pessoas acima dos 5 anos, sendo que até 11 anos estão liberadas duas doses, entre 12 e 49 anos três doses, e acima de 50 anos quatro doses. 

A vacinação é de fundamental importância para a diminuição de casos graves, segundo especialistas. Mesmo com a taxa de transmissibilidade alta na região, os hospitais de Araçatuba tinham apenas 10 internados no final da tarde de sexta, sendo que as unidades de saúde da cidade são referência de atendimento para toda a região. 

12

Ultimas Noticias