A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA EM TEMPOS DE PANDEMIA

TAÍSA MENQUI

Durante a pandemia os casos de violência doméstica aumentaram significativamente. Segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) o Brasil registrou 648 feminicídios no primeiro semestre de 2020, 1,9% a mais que no mesmo período de 2019. Isso significa dizer que alguma variante contribuiu para que esse número fosse majorado consideravelmente.
Durante o isolamento social, muitos casais se viram obrigados a partilharem um maior tempo de convívio, com isso, podendo gerar uma piora na zona de conflito.
No entanto, pesquisas atuais demonstram uma queda brusca nas denúncias de violência doméstica no Brasil pós pandemia.
Com o fato das mulheres ficarem mais tempo isoladas com os parceiros e possíveis agressores, muitas não conseguem sair do ambiente de agressão para realizar as denúncias, seja por falta de pretexto, seja por medo da própria doença, ou por receio; a realidade é que essa mulheres estão sendo duplamente vítimas em meio ao caos sem conseguir manifestar o seu pedido de socorro.
Outro grande fator prejudicial é o fato delas estarem mais distantes de pessoas que poderiam auxiliá-las nessa situação, seja com um conselho, com uma ajuda psicológica, ou até propriamente com o respaldo na realização da denúncia.
Pensando nisso, foi criado um aplicativo para que essas mulheres pudessem denunciar silenciosamente e sem ter que se deslocar de suas casas para efetivar essa denúncia. O aplicativo chamado Direitos Humanos Brasil já está disponível gratuitamente para download e pode ser facilmente acessado.
No entanto, o que muitas mulheres não sabem é que não somente tem-se a violência física como a única forma de violência existente. Há inúmeros outros meios de agressão que o autor utiliza para com a vítima, sejam elas psicológica, patrimonial, moral, sexual.
Se você se sente amedrontada, ameaçada, humilhada, sendo limitada no seu direito de ir e vir; ou porventura se sinta obrigada a praticar atos sexuais com o parceiro que não são de sua vontade, até mesmo sendo impedida de usar métodos contraceptivos, você está sendo vítima de violência doméstica. Outra hipótese se trata do parceiro que ridiculariza a vítima por sua aparência ou forma de se vestir.
Saibam que qualquer tipo de ação que lhe torne oprimida, com baixa autoestima, amedrontada, ou diminuída em um relacionamento, não é normal e precisa ser denunciado. Não se cale.

Advogada Taísa Menqui
OAB/SP 452.958
telefone 18 981760091

Veja também

Atamor fará visitas a hospitais de todo o Brasil a partir de 2022; fundador pede doação de novelos de lã

Diego Fernandes – Araçatuba O grupo Atamor, de Araçatuba, que realiza ações no setor oncológico …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *