6.4 C
Araçatuba
quinta-feira, maio 19, 2022

Prefeitura abre sindicância para apurar morte de criança

A Prefeitura Municipal de Araçatuba abriu uma sindicância para levantar as circunstâncias em que aconteceram os fatos que desencadearam na morte do menino Samuel de França Souza, de 2 anos, na última sexta-feira, 15.

O corregedor geral do município, Jaime Gardenal Júnior, anunciou a investigação ontem, 18, durante coletiva de imprensa realizada no auditório da Prefeitura. Segundo ele, serão apuradas todas as ocorrências do atendimento que Samuel recebeu, desde o incidente na escola de educação infantil Maria Helena de Freitas Carli, no bairro Vista Verde, até o óbito na UTI Neonatal da Santa Casa.

“Queremos apurar se houve eventual irresponsabilidade de algum agente público ou da Prefeitura no atendimento da criança, desde o acolhimento dele na escola, passando pelo atendimento do SAMU, socorro acompanhado pela mãe, até a transferência dele para a UTI Neonatal da Santa Casa e os procedimentos realizados”, afirmou.

Samuel passou mal na escola, após brincar na caixa de areia junto com as demais crianças. Segundo relatos da diretora, Ligiane Michele de Andrade de Brunheira Martins, ele começou a chorar e apontou para alguma coisa no braço. Logo em seguida, começou a vomitar com fortes jatos e foi socorrido pelas professoras.

A escola acionou o SAMU e chamou a mãe da criança para acompanhar o socorro ao menino. Ele foi levado ao Pronto Socorro do bairro Santana e depois encaminhado para a Santa Casa, pois seu estado piorou muito.

De acordo com diretor clínico da Santa Casa, o médico Sérgio Smolentzov, o quadro clínico de Samuel evoluiu para óbito em apenas 12 horas. “Como havia dúvida se ele havia sido picado por escorpião, aplicamos a dose máxima de soro indicada para casos graves de acidentes escorpiônicos: cinco ampolas. Esse soro também é eficaz no caso de picadas de aranhas, caso tivesse sido esse animal. Fizemos todos os procedimentos necessários no atendimento dele”, ressaltou.

Além da aplicação do soro, no hospital foi feito exame para diagnosticar possível meningite, mas essa hipótese foi descartada. Há também a suspeita de que Samuel tenha sofrido algum tipo de intoxicação.

Na tarde de sábado, 16, pouco antes do horário previsto para o sepultamento do menino, os pais conseguiram junto à polícia que o corpo fosse encaminhado para o Instituto Médico Legal para necropsia, para descobrir a real causa da morte. O laudo do IML deve ficar pronto no período de 30 a 180 dias.

Karen Mendes – Araçatuba

Ultimas Noticias