20.3 C
Araçatuba
terça-feira, agosto 9, 2022

Custos da construção civil sobem 5% na região de Araçatuba

Os custos da construção civil na região de Araçatuba (SP) aumentaram 4,98% neste ano. A informação faz parte do Custo Unitário Básico por metro quadrado (CUB/m²), levantamento mensal feito pelo Sinduscon OESP (Sindicato das Indústrias da Construção Civil da Região Oeste do Estado de São Paulo) junto às empresas associadas. Quando o período analisado são os últimos 12 meses, o aumento é ainda maior: 6,18%. O CUB/m² do mês de agosto ficou em R$ 1.318,50. O parâmetro leva em conta os custos com mão de obra (60,01% do total – o fator que mais impacta o CUB/m²), materiais (33,82%), despesas administrativas (5,62%) e equipamentos (0,54%).

Com isso, está mais caro para construir um imóvel classificado como projeto-padrão, também chamado de padrão normal, que se refere a uma residência com garagem, pilotis (pilares em concreto armado que sustentam uma construção), oito pavimentos e três quartos, dois banheiros, uma sala, de 60 metros quadrados.

De acordo com o presidente do Sinduscon OESP, Aurélio Luiz de Oliveira Júnior, isso significa que os preços dos imóveis novos tendem a ficar mais altos. “Embora algumas pessoas imaginem que, em razão das recentes adversidades econômicas do país, o preço dos imóveis deva diminuir, a tendência é inversa. O ajuste deve ser feito para cima. Os preços têm que subir, pois os custos das obras estão se elevando e as construtoras não têm mais como absorvê-los”.

Apesar do aumento de custos, o presidente do Sinduscon OESP afirma que o momento é favorável para o setor. “É preciso reconhecer que a economia e os juros estão estáveis e o crédito imobiliário está em plena expansão, o que é extremamente favorável à construção civil e à aquisição de imóveis”, finaliza Oliveira Júnior.

Entenda o CUB

O Custo Unitário Básico (CUB/m²) é o custo por metro quadrado de construção do projeto-padrão considerado, calculado de acordo com a metodologia estabelecida na legislação, pelos Sindicatos da Indústria da Construção Civil, em atendimento ao disposto no artigo 54 da Lei nº 4.591/64, e que serve de base para avaliação de parte dos custos de construção das edificações. Portanto, o CUB/m² representa o custo parcial da obra, isto é, não considera os demais custos adicionais. E segue normatização da NBR 12.721/1998, da associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Teve origem por meio da Lei Federal 4.591 de 16 de dezembro de 1964, que determina aos sindicatos da indústria da construção civil que divulguem, até o dia 5 de cada mês, os custos unitários de construção a serem adotados nas respectivas regiões jurisdicionais, calculados com observância dos critérios e normas a que se refere a legislação.

Para efeito de registro, os sindicatos enviam o CUB/m² para as delegacias regionais da Receita Federal, prefeituras e cartórios de registros de imóveis, além dos profissionais e empresas da área que solicitam o documento.

DA REDAÇÃO – Araçatuba

Ultimas Noticias