Júri de empresário que prensou comerciante não será na região

Compartilhe esta notícia!

A Justiça de Buritama, na região de Araçatuba, acatou pedido de defesa do empresário Isac Alexandre Gaspar Pinto, de 45 anos, e vai transferir o júri popular o qual será submetido a outra comarca, que ainda não foi divulgada. Ele foi denunciado pelo Ministério Público por dupla tentativa de homicídio após prensar a dona de um depósito de bebidas da cidade contra a parede do estabelecimento em agosto de 2018.

A reportagem apurou que a defesa alegou que com o julgamento ocorrendo na cidade havia o risco de não haver a devida imparcialidade, já que o caso teve grande repercussão e é muito comentado entre os moradores, gerando pressão sobre os jurados. Além disso, ele citou no pedido que o cliente teve um caminhão incendiado, ação esta que pode ter sido criminosa em retaliação ao crime.

Por fim, a Justiça de Buritama determinou que o júri ocorra em outro plenário, de preferência longe de comarcas da região, já que a imprensa local e regional deu amplo destaque ao caso.

CRIME

Segundo a polícia, a ação teve início pouco mais da meia noite de um sábado, dia 25 de agosto de 2018. O acusado e a esposa estavam dentro do comércio da vítima quando começaram uma discussão com um grupo de amigos. O acusado ficou bastante exaltado.

Para evitar mais confusão, a proprietária do depósito decidiu fechar o estabelecimento. O autor ficou indignado com tudo aquilo, foi até a área externa e começou a atirar pedras contra a porta de vidro do local, na tentativa de quebrá-la.

Não satisfeito, o indiciado entrou em sua caminhonete F250 e a jogou contra a fachada da adega, causando muitos estragos. Na sequência, ele engatou a marcha ré e pela segunda vez jogou o veículo contra o prédio e nesse momento a dona entrou na frente e tentou impedir o ato, quando foi atropelada e prensada contra a parede.

A parte da frente da adega ficou destruída. Além do vidro da porta ter sido quebrado, o motorista ainda derrubou parte da parede com o impacto. Após o crime, Eliane Negrelli teve que ser transferida para a Santa Casa de Araçatuba, onde permaneceu internada por vários dias. Ela realizou diversas cirurgias, já que sofreu várias fraturas, mas recebeu alta alguns dias depois.

A prisão do empresário ocorreu no dia 12 de dezembro de 2019, no município de Rio Verde, Goiás, após o recebimento de uma denúncia anônima de que ele estaria na cidade.

 

 

 

 

 

 


Compartilhe esta notícia!

Veja também

Fiscais da Prefeitura e a PM lacram tabacaria que desrespeitou decreto da pandemia

Compartilhe esta notícia!Fiscais da prefeitura de Andradina, juntamente com o apoio da Polícia Militar e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *