20.3 C
Araçatuba
terça-feira, agosto 9, 2022

Em fim de semana violento, dois jovens são assassinados em Araçatuba

FOTO CEDIDA: SILVIO ROMEIRO

O fim de semana foi marcado pela violência em Araçatuba. Dois jovens foram assassinados entre a manhã e a noite de sábado (16) na cidade. Os crimes ocorreram no bairro Água Branca, zona leste do município, e no bairro Jardim Brasília. Ambos casos continuam sendo investigados pela Polícia Civil, que até agora não tem informações a respeito dos autores.

Na manhã de ontem (18), o corpo de Daniel Santos Silva, de 19 anos de idade, foi sepultado no cemitério Recanto de Paz, no bairro Rosele. Ele foi morto com golpes de faca na noite de sábado. O corpo do rapaz foi localizado entre a rua América do Sul e a Avenida Joaquim Pompeu de Toledo, local com pouca iluminação e sem câmeras de segurança.

Segundo informações apuradas pela reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL, o jovem possuía diagnóstico de esquizofrenia e bipolaridade. Estava no terceiro ano do Ensino Médio na Escola Estadual Vitor Antônio Trindade, popularmente conhecida como Industrial, no bairro Santana.

Segundo os familiares, Daniel nunca apresentou comportamento agressivo e era uma boa pessoa. Ajudava o pai a trabalhar em um lava-jato. Mas uma preocupação surgiu desde a última quinta-feira (14) na escola onde o jovem estudava.

O pai contou à reportagem durante entrevista que o filho teria sido agredido por três pessoas dentro da instituição de ensino, inclusive ficou com lesões pelo corpo. O motivo ainda é desconhecido. Os familiares compareceram à escola, mas não conseguiram descobrir quem eram os agressores.

No dia seguinte, já na sexta-feira (15), a vítima estava com medo de voltar para a escola e não foi à aula, ficou ajudando o pai no lava-jato. Já no sábado à noite, ele saiu com alguns amigos de escola e foram até um show que era realizado na Praça Getúlio Vargas, área central da cidade. Foi lá que Daniel foi visto pela última vez com vida.

Um colega dele, de 16 anos, compareceu ao velório e estava com o estudante momentos antes do crime. Ele contou que os rapazes que teriam agredido o amigo na escola estavam no mesmo evento e chegaram a se encontrar. Em determinado momento, alguém teria chamado o rapaz pelo nome. Em seguida, não foi mais visto por ninguém.

FERIMENTOS

Algumas horas depois, já no início da madrugada de domingo, o jovem foi encontrado por populares caído no cruzamento da rua América do Sul com a Avenida Joaquim Pompeu de Toledo com ferimentos por faca, principalmente na região do tórax e do pescoço.

Equipes do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foram acionadas e prestaram os primeiros atendimentos ao rapaz. Ele foi socorrido ainda com vida e levado até o pronto-socorro da Santa Casa, mas morreu alguns minutos depois de ter dado entrada na unidade hospitalar.

O corpo passou por exame necroscópico no IML (Instituto Médico Legal) e um laudo deverá ficar pronto em até 30 dias para auxiliar nas investigações. A família só fez o reconhecimento na noite de domingo (17). A Polícia Civil abriu inquérito para dar andamento às investigações, mas até o fechamento desta edição nenhum suspeito havia sido identificado. O que dificulta muito o trabalho da polícia é que nenhuma testemunha presenciou o crime.

POSICIONAMENTO

A Secretaria de Educação do estado se manifestou a respeito do caso, lamentou o ocorrido e confirmou as agressões ocorridas dentro da escola. “Os pais do aluno citado foram chamados à Escola Estadual Professor Vitor Antônio Trindade, assim como os responsáveis de outros três estudantes, por terem se envolvido em uma briga na unidade. Os quatro foram suspensos. Nesta segunda-feira (18), as aulas ocorrem normalmente e a equipe escolar esteve no velório do aluno. Após o cumprimento da suspensão dos outros alunos, haverá uma ação de prática restaurativa, nos moldes do Programa Gestores da Paz”, informou.

ÁGUA BRANCA

Um pouco mais cedo, ainda durante a manhã de sábado (16), mais um assassinato foi registrado na cidade. O jovem Luís Fernando Teixeira de Souza, de 20 anos, foi morto com pelo menos três tiros na cabeça. Ele também chegou a ser socorrido com vida pelo Resgate até a Santa Casa, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Segundo informações do boletim de ocorrência, o homicídio ocorreu pouco depois das 10h, na rua Waldir Cunha, no bairro Água Branca. O rapaz aguardava para cortar o cabelo em um salão que fica ali quando dois indivíduos desconhecidos chegaram em uma motocicleta e passaram a atirar diversas vezes.

A vítima correu, mas caiu alguns metros mais à frente, já na calçada. Os autores fugiram em alta velocidade e até o fechamento desta edição também não tinham sido localizados. Nenhuma testemunha presenciou os fatos e nem conseguiu anotas as placas do veículo, o que dificulta o trabalho de investigação.

Araçatuba já registrou, neste ano, sete assassinatos. Três deles foram cometidos no bairro Água Branca. A polícia tenta descobrir, agora, se existem relações entre os homicídios cometidos na localidade. A DIG (Delegacia de Investigações Gerais) tenta reunir evidências para solucionar os crimes.

Ultimas Noticias