BENEFÍCIO - Fazendeiros podem explorar a faixa de domínio, mas vão atender programas sociais

Plantio na faixa de domínio beneficiará entidades assistenciais

DA REDAÇÃO – CAMPO GRANDE

Com intuito de atender as necessidades sociais, a produção agrícola na faixa de domínio da MS-306 será legalizada, através do Projeto Fazenda Corredor, e parte do ganho com a produção será doada aos municípios dos arredores da rodovia, e entidades assistenciais.

Por determinação do PER – Programa de Exploração da Rodovia, a plantação é proibida na área de domínio, às margens da rodovia, que pertencem ao Estado, porém, a maior parte é ocupada por propriedades rurais. Para não tornar essa área inútil com a desocupação, o Grupo Way, concessionaria que administra a rodovia, numa extensão de quase 220 quilômetros, criou o projeto. Com isso, cada produtor que aderir ao programa irá se comprometer a fazer a doação diretamente à entidade escolhida dentre uma lista pré-estabelecida, de acordo com a necessidade da entidade. A doação poderá ser em verba, bens adquiridos (como fraldas, equipamentos para postos de saúde, materiais escolares, entre outros) ou doação para fundos municipais para a infância e juventude.
Na análise do diretor-presidente da Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Mato Grosso do Sul (Agepan), Carlos Alberto de Assis, é possível manter a área sem cerceamento, em vez de forçar a desocupação. “O projeto não prejudica a segurança, ao contrário. Mantendo a área plantada contínua, toda essa faixa vai estar conservada. A gente garante a manutenção de uma área produtiva e beneficia a comunidade da região que mais precisa, por meio de apoio aos projetos sociais”, destacou.
Alguns produtores rurais já aprovaram o projeto e sinalizaram adesão, como é o caso do grupo de Renato e Rudinei Bürgel. “Esse projeto da Way-306 é muito importante para a região, já que o produtor que tem áreas às margens da MS-306, poderá continuar cultivando nessa faixa, que é de domínio do Estado, valorizando essa terra, sem a necessidade de fazer cerca, mantendo-a limpa, evitando propagação de incêndios e de ervas daninhas. Além de proteger essas áreas e continuar produzindo, uma parte da produção será destinada para doação às entidades filantrópicas da nossa região. O próprio produtor poderá indicar a entidade que ele quer beneficiar. É muito bonito esse projeto, que vai gerar produção, gerar bem-estar social e assim ajudar pessoas que estão passando por algum tipo de necessidade. Quero agradecer o presidente Paulo Lopes e toda a equipe da Way-306 empenhada nesse projeto, nos dando a oportunidade de agregar alguma coisa neste programa”, declarou Rudinei Bürgel.
O administrador da Fazenda Pouso Frio, Pedro Rangel Lima, também aprova e já aderiu ao programa. “Esse projeto vai beneficiar todos nós, pois, vai manter a rodovia limpa, mais segura e ainda vai ajudar crianças e famílias que precisam. Com certeza trará muitos benefícios” afirmou.
O diretor-presidente da Way-306, Paulo Nunes Lopes, destaca a finalidade social do projeto. “O produto da doação não será revertido em favor da Concessionária ou do Poder Concedente, pois esse projeto é uma ação social em busca da melhoria da qualidade de vida da população. A partir de agora teremos regularizado o plantio de culturas rasteiras na faixa de domínio e uma parte dessa produção será revertida para instituições sociais da nossa região bem como para o Hospital do Amor de Barretos”, afirma.
Para participar do Projeto Fazenda Corredor, o produtor rural interessado deve procurar a Way-306 e estar de acordo com seus direitos e obrigações, antes de formalizar um Termo de Uso.

Veja também

Saúde consegue imunizar quase 300 pessoas no sábado

DA REDAÇÃO – TRÊS LAGOAS A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Três Lagoas realizou …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *