ENCONTRO - Reinaldo Azambuja e secretário Jaime Verruck foram recebidos pelo embaixador Juan Àngel Delgadillo e pelo presidente Marito

Pedra fundamental da Rota Bioceânica será lançada no dia 13 de dezembro

DA REDAÇÃO – CAMPO GRANDE

Principal obra da Rota Bioceânica, a ponte entre Porto Murtinho (MS) e Carmelo Peralta (PY) terá a pedra fundamental lançada no dia 13 de dezembro, informou o presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, ao governador Reinaldo Azambuja. O presidente Jair Bolsonaro também deve participar do evento que marca o início das obras. A cerimônia está prevista para ser realizada do lado paraguaio.
A confirmação foi feita durante visita de Reinaldo Azambuja à embaixada do Paraguai no Brasil, nessa semana. Para o governador, a ponte vai levar desenvolvimento para os dois países e promover integração em diversas áreas. “É uma alegria ver esse projeto de integração bioceânica se transformando em realidade. Era um sonho antigo dos brasileiros e também dos paraguaios. Essa ponte vai integrar o Centro Oeste brasileiro e interiorizar o desenvolvimento na região do Chaco paraguaio. Vai diminuir as distâncias dos produtos e aproximar os povos dos quatro países – Brasil, Paraguai, Argentina e Chile – inclusive na área da cultura e do turismo”, disse Reinaldo Azambuja.
A Ponte Bioceânica terá um comprimento de 680 metros, duas pistas de rolagem de veículos de passeio e caminhões, com 12,5 metros de largura, e duas passagens nas laterais, com 2,5 metros cada uma, para o trânsito de pedestres e ciclistas. A obra será feita pelo consórcio Paraguai-Brasil, composto pelas empresas Tecnoedill Constructora S.A, Cidade Ltda e Paulitec Construções. O valor contratado é de 616.386.755,744 guaranis, o que equivale a quase meio bilhão de reais, a serem pagos pela Itaipu Binacional. As empresas vencedoras terão 1.080 dias para concluir o empreendimento.
Durante o lançamento da pedra fundamental, o presidente Mario Abdo Benítez, mais conhecido como Marito, vai anunciar ainda a implantação rodoviária de mais dois trechos no Paraguai. O secretário Jaime Verruck (Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar) recebeu dele a informação de que o Paraguai já tem os recursos para concluir as obras do corredor bioceânico naquele país. “O presidente anunciou que já tem os recursos para a obra da parte final da rota do lado paraguaio. E, depois disso, faltará apenas os acessos às pontes do lado paraguaio e do Brasil – que é de responsabilidade do Ministério da Infraestrutura. Já temos a importante informação que o projeto básico está concluído e vai ser lançada uma licitação no modelo contratação direta pelo governo brasileiro, possibilitando assim acertar os dois cronogramas. É algo histórico. A reunião mostra essa inter-relação econômica e a busca desse desenvolvimento tanto do Brasil como do Paraguai”, explicou o secretário de Mato Grosso do Sul.
De acordo com o Ministério de Obras Públicas e Comunicações (MOPC), do Paraguai, o Corredor Rodoviário Bioceânico naquele país está 93% concluído, com 216 quilômetros de rodovias asfaltadas e sinalizadas. Ao longo de todo o trajeto no Paraguai foram construídas 14 passagens de animais – estruturas colocadas em diferentes pontos do corredor para que as várias espécies de mamíferos vertebrados de pequeno, médio e grande porte possam passar de um lado a outro da pista com segurança.
Quando estiver pronta, a Rota Bioceânica vai encurtar a distância percorrida pelos produtos brasileiros rumo ao mercado asiático, integrar Brasil, Paraguai, Argentina e Chile e transformar Mato Grosso do Sul em um hub logístico, um centro de distribuição de mercadorias.

FERROESTE
Em Brasília junto com o governador Ratinho do Júnior (Paraná) e equipes do governo estadual, Reinaldo Azambuja entregou o Estudo de Impacto Ambiental da Nova Ferroeste ao Ibama. “O próximo passo é o Ibama analisar a documentação e emitir a licença prévia, para podermos soltar o edital do leilão da concessão da Nova Ferroeste, que vai ligar Maracaju a Cascavel, com ramais que ligam Santa Catarina e Foz do Iguaçu. Será uma ferrovia com uma nova concepção, concebida nos modelos da sustentabilidade, respeitando as regras do Estado Carbono Neutro e que vai retirar caminhões das rodovias. Ela também tem um ganho ao meio ambiente. O presidente do Ibama nos disse que vai analisar com rapidez a liberação da licença. O frete do setor ferroviário é mais barato que o rodoviário, gerando economia e redução de custos. A ferrovia vai gerar novas oportunidades e dar mais competitividade aos produtos do Estado”, acrescentou o governador. ] A Ferroeste, no Paraná, liga os municípios de Cascavel a Guarapuava, onde se une à malha ferroviária da Rumo Logística, por meio da qual faz a conexão ao Porto de Paranaguá, no litoral do Estado do estado. Assim, Mato Grosso do Sul terá ligação com o porto, viabilizando o escoamento da produção.

ROTA – Ponte será construída sobre o rio Paraguai entre Porto Murtinho e Carmelo Peralta

Veja também

Expectativas para 2022 é de cenário promissor para o desenvolvimento econômico de Três Lagoas

DA REDAÇÃO – TRÊS LAGOAS O cenário para o desenvolvimento econômico em Três Lagoas para …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *