INOVAÇÃO - Primeira edição gestão do SRC, jornal apresentou cadernos coloridos

O LIBERAL REGIONAL atinge a marca de 6 mil edições

DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA

No dia 14 de agosto de 2001 foi para as ruas a primeira edição de O LIBERAL. Fernando Henrique Cardoso era o presidente da República, Geraldo Alckmin o governador de São Paulo e Jorge Maluly Netto o prefeito de Araçatuba. A Seleção Brasileira, que viria a ser pentacampeã no ano seguinte, não inspirava confiança. Nesta terça-feira (12), 20 anos depois, o jornal chega à edição 6 mil. Um marco importante diante das situações adversas enfrentadas por vários setores.
O sonho do jornal foi do professor Sérgio Alves Pinto, à época com 71 anos. Depois de uma carreira de 35 anos dedicada ao magistério, o professor aposentado via pelo menos duas razões para a sua aposta.
Acreditava que, em Araçatuba, cidade para qual veio ainda menino, havia espaço para mais um jornal – na época, circulava apenas um. Por outro lado, seria uma oportunidade para seu filho, João de Paula, colocar em prática o que aprendeu nos cursos de comunicação social da Faculdade Cásper Líbero, uma das mais tradicionais do ramo no Brasil.

MUDANÇAS
Na segunda metade da década de 1990 o SRC chegou a Araçatuba quando assumiu a Clube FM. Anos depois, o empresário Nivaldo Franco Bueno, que no início da carreira tinha atuado em rádios e jornais de São Paulo, comprou O LIBERAL. Há algum tempo o grupo, com várias rádios, planejava um veículo impresso.
As mudanças foram repentinas. Enquanto o foco do professor Sérgio Alves Pinto era apenas Araçatuba, o “novo” Liberal já tinha um posicionamento mais regional. Por isso, passou a ser denominado O LIBERAL REGIONAL. Uma empresa foi contratada para fazer o projeto gráfico e foram instaladas as primeiras impressoras – até então a impressão do jornal era terceirizada.
Com isso, houve avanços gráficos e publicitários expressivos. O jornal passou a circular com capas e contracapas de cadernos coloridos. Isso representou um avanço para o mercado publicitário.
Quando o jornal chegou a 5 mil exemplares, o professor Sérgio falou sobre a marca: “(O jornal) Foi algo que a cidade aceitou muito bem. E mostra que conseguiu manter um nome, em relação ao respeito perante a população”, disse o professor Sérgio, defendendo o jornal impresso.
“Hoje, em dia, com a internet, o jornal ainda tem uma grande relevância. Todo mundo fala que o papel vai acabar. Mas o jornal respira a cidade, que é o lugar onde todos nós moramos. Por isso, eu sou a favor do papel”, afirmou em 2018.

COMPROMISSO REGIONAL
Para o presidente do SRC, Nivaldo Franco Bueno, o maior compromisso é integrar a região com ações responsáveis. O empresário e jornalista reconhece que a região e o Brasil mudaram e diz que o SRC acompanhou essas mudanças, registradas nas páginas de O LIBERAL REGIONAL.
Ao longo destes 18 anos à frente de O LIBERAL REGIONAL, o SRC promoveu profundas mudanças, com modernização do parque gráfico e ampliação da circulação.

DESAFIOS
O setor de comunicação – especialmente os jornais – passa por profundas mudanças, exigindo dos gestores a reengenharia. Vários veículos tiveram de se reposicionar no mercado, muitos dos quais acabando com a versão impressa. Nos últimos, dezenas de jornais deixaram de circular no Brasil. O LIBERAL reafirma o seu compromisso, mantendo a versão impressa e, mais do isso, expandindo a sua área de cobertura e circulação.

Veja também

Atamor fará visitas a hospitais de todo o Brasil a partir de 2022; fundador pede doação de novelos de lã

Diego Fernandes – Araçatuba O grupo Atamor, de Araçatuba, que realiza ações no setor oncológico …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *