14.2 C
Araçatuba
terça-feira, maio 17, 2022

REGIÃO TENTA AUMENTAR REPRESENTATIVIDADE NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO

Aumentar a representatividade da região de Araçatuba na Assembleia Legislativa de São Paulo. É com esta missão que os candidatos a deputado estadual pelos 43 municípios vão disputar a eleição deste ano. Faz duas eleições consecutivas que essa área do Estado não elege mais de um parlamentar – a última vez ocorreu em 2006, quando foram eleitos o ex-prefeito de Araçatuba Cido Sério, à época pelo PT, e Roque Barbiere, então no PSDB.

De lá para cá, somente Roquinho tem conseguido êxito nas urnas entre os postulantes da região a uma das 94 cadeiras do Palácio Nove de Julho. Em 2018, o político que tem sua base eleitoral em Birigui e hoje está no PTB vai tentar oitavo mandato seguido no legislativo paulista. Os resultados dos últimos pleitos, no entanto, mostram que o petebista precisa ficar atento. Apesar das sucessivas reeleições, sua votação tem diminuído a cada disputa. Em 2006, obteve 95.597 votos. Quatro anos depois, totalizou 84.012 e, em 2014, 72.512.

Os números são resultado do verdadeiro “funil” que virou a briga por uma cadeira no parlamento estadual. Nas duas últimas eleições, mesmo com expressivas votações, o então candidato do PSDB em Araçatuba, Dilador Borges, não conseguiu se eleger. O tucano alcançou, em 2010, a preferência de 62.338 eleitores em todo o Estado. Na última eleição, foram quase dez mil votos a mais: 71.027. No entanto, por um ano e três meses, entre 2013 e 2014, exerceu a função de deputado estadual na condição de suplente.

Hoje prefeito de Araçatuba, Dilador apoia a candidatura a deputada estadual da vice-prefeita Edna Flor, que é do PPS, partido que sempre lhe apoiou em todas as suas campanhas ao Executivo municipal. Esta será a primeira vez que ela tentará uma vaga na assembleia.

CURRÍCULO
Assim como na eleição para deputado federal, a indicação de nomes com experiência política ou “bons de votos” é a aposta dos partidos políticos na região. Edna tem ainda, em seu currículo, três mandatos de vereadora, sendo que, em um biênio (2009/2010), foi presidente da Câmara Municipal.

Estrada semelhante à de Edna até chegar a candidatura a deputada estadual neste ano percorreu outro nome famoso da política araçatubense, o vereador Cido Saraiva (MDB). Assim como a vice-prefeita, tem três mandatos parlamentares e já presidiu o legislativo municipal. Coincidentemente também, ambos já foram, por duas vezes, os “campeões” da eleição para vereador em Araçatuba – Edna, em 2000 e em 2008; Saraiva, em 2012 e 2016.

No caso do emedebista, a expressiva votação que recebeu nesses pleitos o tornou um nome forte do MDB no Estado. Há dois anos, ele foi o vereador mais votado da história da cidade, sendo escolhido por 8.341 pessoas, quebrando um recorde dele próprio, que havia sido conquistado na eleição anterior.

JAMIL
O recorde de votação também credenciou o andradinense Jamil Ono (Patriota) a tentar eleger-se deputado estadual. Em 2012, ele foi reeleito prefeito de sua cidade, sendo também o governante a atingir a maior votação de todos os tempos no município. Obteve, na ocasião, 21.440 votos, 67,69% do total válido. Quatro anos depois, fez sua sucessora no Executivo, a atual prefeita Tamiko Inoue (PCdoB). No currículo, ele tem ainda mandatos vereador, tendo sido presidente da Câmara em seu município.

Outro partido novato também com candidatura na região é o Podemos, que lançou o médico Filipe Fornari, de Araçatuba. Também debutante em campanhas para assmbleia, antes, ele foi candidato a vereador.

 

Baixa participação fortalece ação dos políticos ‘forasteiros’

A baixa representatividade em São Paulo fortaleceu, ao longo dos anos, os chamados políticos “forasteiros”. São os deputados estaduais não domiciliados na região de Araçatuba, mas com atuação por aqui.

Não é à toa que, para eleição deste ano, muitos já montaram seus “QGs” de campanha entre as 43 cidades, contando, inclusive, com cabos eleitorais de influência: prefeitos e vereadores. Além disso, muitas vezes, simplesmente por estarem tentando a reeleição, desfrutam de uma estrutura de campanha que os candidatos da região não contam, seja em materiais impressos ou em equipes de propaganda.

Não são poucos os parlamentares ou governantes que admitem fazer campanha para os candidatos de fora por fidelidade partidária ou retribuição a benfeitorias conseguidas junto ao Estado graças a emendas parlamentares de determinado deputado, ainda que seja para a execução de uma obra asfáltica em um bairro.

TRABALHO
Recentemente, devido à inexpressiva participação regional na Assembleia Legislativa, foi bem recebida pela classe política regional a indicação do jornalista Bruno Maluly, neto do ex-prefeito de Araçatuba Jorge Maluly Netto, para o cargo de secretário adjunto estadual do Emprego e das Relações do Trabalho. Na condição de número dois de uma das principais secretarias do governo paulista, Bruno se colocou a disposição dos prefeitos da região para a obtenção, junto ao Palácio dos Bandeirantes, de recursos e apoio para iniciativas na área do trabalho.

Da Redação

Ultimas Noticias