Home Cidades Dupla que estava em guincho é presa com trator furtado

Dupla que estava em guincho é presa com trator furtado

4 minutos de leitura
Compartilhe esta notícia!

Um motorista, identificado pelas iniciais J.C.S.S., 38 anos e morador em Mineiros (GO), e o passageiro B.S.A., 31, morador em Porangatu (GO), foram presos em flagrante na madrugada desse sábado (18) pelo furto de um trator no município de Bastos. A localização foi feita por policiais militares rodoviários do TOR (Tático Ostensivo Rodoviário), na rodovia Elyérser Montenegro Magalhães (SP-463), em Araçatuba.

De acordo com informações apuradas pela reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL, os policiais estavam em fiscalização durante a Operação Tiradentes quando deram ordem de parada ao motorista do guincho Ford/Cargo, com placas de Mineiros, município localizado no estado de Goiás.

O condutor e o passageiro apresentaram nervosismo e foram contraditórios nas alegações sobre a origem e destino da viagem, o que levantou a suspeita das equipes. Além disso, eles apresentaram uma nota fiscal que descrevia um trator do mesmo modelo, porém com o número de chassi diferente do transportado.

A polícia recebeu informações de que um trator com as mesmas características havia sido furtado na região de Bastos. Foi feita comunicação com a Polícia Militar de lá e enviada uma foto para que o veículo fosse reconhecido por algum proprietário de granja na localidade.

Algumas horas depois, a vítima fez contato com o TOR e narrou que o trator havia sido furtado juntamente com outro, da marca Massey Ferguson, de uma propriedade rural localizada em Bastos. O proprietário foi orientado e registrou queixa do furto na delegacia do município.

Já os ocupantes do guincho receberam voz de prisão em flagrante e foram levados até a delegacia de Araçatuba, onde a ocorrência foi registrada. O delegado plantonista manteve a detenção por furto qualificado e os deixou à disposição da Justiça. Eles devem ser transferidos neste domingo (19) para a Cadeia Pública de Penápolis, onde deverão aguardar vaga em alguma unidade prisional da região. A Polícia Civil abriu inquérito para dar andamento às investigações.

 

 

 


Compartilhe esta notícia!