17.7 C
Araçatuba
quarta-feira, junho 29, 2022

Setor imobiliário mantém negócios e garante empregos durante a pandemia

ANTÔNIO CRISPIM – Araçatuba

“Aqui a crise causada pela pandemia do novo coronavírus não entrou e respondemos com muito trabalho”. A frase otimista foi dita pelo empresário Jamil Buchalla, com décadas de experiência no setor imobiliário que está investindo em dois empreendimentos na zona norte de Araçatuba – Vila Madalena 1 e Vila Madalena 2. Buchalla não é o único otimista nesse meio. A grande maioria dos empresários do setor imobiliário afirma que os negócios não pararam. Com isso, o mercado de trabalho também respondeu positivamente, com a manutenção de milhares de empregos. A situação só não está melhor porque durante a pandemia houve falta de material. Isso chegou a comprometer a evolução de obras iniciadas ou o início de edificações. A falta de material fez os preços ficarem elevados e foi mais prudente retardar algumas obras.
Desde o início da pandemia no ano passado, o setor da construção civil figura entre os três que mais empregaram. Os outros são serviços (que inclui área de saúde) e comércio. Neste ano, a construção teve a melhor variação no estoque de emprego, chegando a 5,96%, seguida pelo setor de serviços, que chegou a 5,75%. Para profissionais da área, não é exagero dizer que o setor foi um dos pilares da economia neste período de restrições por conta da pandemia.

SEMPRE ACREDITAR
Segundo o empresário Jamil Buchalla, o Vila Madalena 1 foi praticamente negociado no período pré-pandemia e depois já com o problema atingindo todo o mundo. “Em momento algum tivemos dúvidas quanto à importância de se manter o trabalho. No auge da pandemia, chegamos a ter 500 trabalhadores dentro do condomínio, que tem pouco mais de 500 lotes”, disse o empresário. Hoje são quase 300 com edificações concluídas ou em diferentes fases de construção.
Na avaliação de Buchalla, o isolamento social mostrou que as pessoas realmente precisam repensar o ambiente doméstico. Com isso, os condomínios ganham a preferência por tudo que podem oferecer de lazer, recreação, conforto e segurança. “Temos aqui um ambiente diferenciado, com milhares de árvores plantadas e amplos espaços verdes”, disse o empresário, frisando que a valorização durante a pandemia foi superior a 40%. “Nada teve valorização similar”, disse.
Mesmo durante a pandemia, Jamil Buchalla manteve as obras e os negócios do Vila Madalena 2, que é semelhante ao primeiro empreendimento, mas com pouco mais de 600 lotes. “Já temos 60% dos lotes negociados e avançamos com as obras de pavimentação, redes de água e esgoto e paisagismo. Acreditamos que em meados do próximo ano já poderemos liberar o empreendimento para construções e certamente será mais um fator gerador de centenas de postos de trabalho”, afirmou o empresário.

CONTINUAR – Novo empreendimento deve abrir para obras dos condôminos em meados de 2022

Ultimas Noticias