8.2 C
Araçatuba
quarta-feira, maio 18, 2022

Segmento de supermercados salva a economia e gera empregos em Araçatuba

DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA

Os hipermercados e supermercados seguem sendo parte importante da economia, principalmente no período da pandemia. Por ter sido considerado essencial e não ter sofrido com fechamentos, além de ter mantido seus consumidores por causa das necessidades da população, estes estabelecimentos seguem registrando bons resultados econômicos.

 

Uma pesquisa divulgada pela APAS, a Associação Paulista de Supermercados, revelou que o setor fechou o ano de 2021 com 23.309 postos de trabalho criados em todo o estado de São Paulo. O levantamento foi feito com base nos números do CAGED, o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, do Ministério do Trabalho e Previdência.

 

No mês de novembro do ano passado, por exemplo, mais de 6 mil posições de trabalho foram criadas. Araçatuba foi responsável por alguns destes empregos criados, já que várias redes de supermercados da cidade tiveram de aumentar seus funcionários na reta final do ano para dar conta da demanda de vendas.

 

Os Supermercados Rondon, por exemplo, tiveram que contratar pelo menos 100 funcionários entre novembro e dezembro do ano passado. A analista de recursos humanos, Hully Caldas, afirmou na época que as compras do final do ano aumentaram a demanda e, por causa disso, foram necessárias as novas contratações. Atualmente, a rede araçatubense é uma das principais empregadoras do município, com aproximadamente 2.000 funcionários.

 

De acordo com os dados da APAS, o setor supermercadista paulista responde por 21,2% da força de trabalho envolvida no comércio do estado. São pelo menos 590 mil trabalhadores em supermercados em um universo de 2,7 milhões de empregados do comércio.

 

Já neste começo de 2022, o agravamento da pandemia com as contaminações pela variante ômicron, causou também uma necessidade de reposição de empregos em supermercados da cidade. Com dezenas de funcionários afastados por covid, algumas vagas precisaram ser preenchidas para manutenção do atendimento ao público.

 

De acordo com dados da Serasa Experian divulgados na última semana, o setor supermercadista foi um dos pontos de equilíbrio do comércio varejista para que a queda nas vendas, já tradicional no mês de janeiro, não fosse tão grande.

 

Apesar da diminuição de 1,6% nas vendas do comércio físico em todo o Brasil em janeiro, o segmento de hipermercados, supermercados, alimento e bebidas, registrou uma alta de 1,4%, sendo o segundo mais destacado, só ficando atrás do setor de tecidos, vestuário, calçados e acessórios, que teve alta de 1,5%. 

 

Ultimas Noticias