ENDURECIMENTO - Secretária Patrícia Ellen e o governador João Dória, durante anúncio da reclassificação do Plano SP, nesta sexta

Região de Araçatuba regride para a fase laranja em nova reclassificação

Compartilhe esta notícia!

DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA

Uma semana após ter permanecido na fase amarela, a região de Araçatuba foi reclassificada para a fase laranja dentro do Plano São Paulo, desenvolvido pelo governo estadual. Com isso, os municípios da região passam a ter mais restrições quanto à abertura do comércio não essencial.

O aumento no número de casos e de óbitos foi o responsável pela regressão dos municípios da DRS II. Outras seis regiões, além de Araçatuba, regrediram, incluindo a região de Bauru, da qual faz parte o município de Lins.

As regiões de Franca, Piracicaba, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto e Taubaté também regrediram da amarela para a laranja. Presidente Prudente, Registro e Sorocaba seguem na laranja, enquanto a região de Marília é a única do estado a ter regredido para a fase vermelha, na qual só o comércio essencial está autorizado a funcionar.

Seguem na fase amarela as regiões de Barretos, Araraquara, São João da Boa Vista, Campinas, Grande São Paulo e Baixada Santista. As regras passam a valer a partir da próxima segunda-feira (15) até a próxima reclassificação.

O anúncio foi feito pelo governador de São Paulo, João Dória (PSDB), e explicado pela secretária de desenvolvimento econômico do estado, Patrícia Ellen, durante coletiva de imprensa realizada nesta sexta-feira, no Palácio dos Bandeirantes.

Aumento de casos e mortes pesaram na regressão de Araçatuba

A região de Araçatuba registra índice satisfatório de ocupação das UTIs e de leitos por cada 100 mil habitantes, porém, apresentou uma alta nos novos casos e na media de mortes, que foi o preponderante para a regressão anunciada nesta sexta-feira, pelo governo estadual.

A região apresenta 455,3 novos casos a cada 100 mil habitantes, quando o preconizado para se estar na fase amarela, de acordo com o Plano São Paulo, é uma media entre 180 e 360. Já a media de mortes está em 9,4 por 100 mil habitantes, enquanto que para ficar na fase amarela esta media teria que estar entre 3 e 8.

Estes dois indicadores, porém, não fazem uma região regredir para a fase vermelha, como ocorreu com Marília, por exemplo. Neste caso, os únicos indicadores que contam são a taxa de ocupação de leitos de UTI e o número de leitos por cada 100 mil habitantes.

Para regredir a fase vermelha, uma região precisa estar com mais de 80% de ocupação. No caso de Marília, a região está atualmente com 83,2% dos leitos de UTI Covid ocupados.

Em Araçatuba, este índice está em 57,1%, sendo o terceiro mais brando do estado, ficando atrás apenas de Barretos (55,8%) e São João da Boa Vista (56%).

Governador afirma que regressão é necessária e se irrita com Bolsonaro

O governador João Dória (PSDB) se mostrou irritado com o governo federal e teceu severas críticas ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pela forma como vem lidando com as questões relacionadas à pandemia.

Em certo momento da coletiva, ao comentar sobre o caos na saúde pública em Manaus, Dória perder a tradicional compostura e chegou a bater o aparelho celular no púlpito, pedindo desculpas ao jornalistas logo em seguida.

De acordo com o governador, a regressão de sete regiões da fase amarela para a laranja é uma medida para salvar vidas.

“É uma medida preventiva e extremamente necessária neste momento para proteger vidas dos brasileiros em São Paulo. Há uma indicação clara que a pandemia acentuou essa segunda onda em nosso país. Nós temos que tomar medidas de cautela e prevenção para proteger vidas. É muito importante que a população tenha consciência disto. A situação vem se agravando a cada semana”, disse Doria.

Com a nova classificação, agora são 10 das 17 regiões do estado que estão na fase amarela, o que representa 31% da população do estado. São 6 regiões na fase amarela, representando 67% e uma região na fase vermelha, que representa 2% da população.

Bares são os grandes afetados com a regressão

Com a regressão para a fase laranja, Araçatuba terá as suas atividades comerciais reduzidas, porém, com as novas medidas anunciadas na última semana pela Comitê de Contingência da Covid-19, as restrições não serão tão drásticas para a maior parte das atividades comerciais.

O comércio de rua e os shoppings, que estavam autorizados a funcionar até 10 horas por dia, agora poderão abrir por apenas 8 horas diárias. Na prática, o comércio de Araçatuba perderá 1 hora de trabalho por dia no horário de segunda à sexta, que até então é das 9h às 18h; já os shoppings perdem duas horas do atual horário, das 12h às 22h.

Há a necessidade de que as duas horas a menos dos shoppings sejam retiradas do período noturno, já que é uma das determinações da fase laranja o não funcionamento de atividades não essenciais após às 20h.

No caso das academias, salões de beleza e restaurantes, o atendimento presencial pode continuar, desde que respeitadas apenas 8 horas de abertura e seja respeitado o horário limite até 20h.

A grande mudança ocorrerá com os bares, já que estes estabelecimentos que na fase amarela podiam funcionar até 20h, agora ficam proibidos de atender ao público de forma presencial em qualquer horário.

Em todas as atividades comerciais permitidas, a restrição de presença de público nos estabelecimentos é exatamente a mesma da fase amarela, com apenas 40% do público permitido nos municípios.

RESTRIÇÃO – Bares ficarão fechados e restaurantes só poderão atender até às 20h
UMA HORA – Comércio de rua perderá uma hora de trabalho a partir da próxima semana

Compartilhe esta notícia!

Veja também

Para buscar forças e continuar a jornada, funcionários da Santa Casa ‘abraçam’ o hospital

Compartilhe esta notícia!ANTONIO CRISPIM  ARAÇATUBA “Quando as coisas fogem do controle do homem. E muitas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *