CARNE - Pecuaristas promovem Segunda com Carne em crítica à peça publicitária veiculada pelo banco

Produtores rurais promovem churrasco em frente a agências do Bradesco na região de Araçatuba

Diego Fernandes – Araçatuba

Pecuaristas, produtores rurais e apoiadores da causa participaram de um protesto pacífico nesta segunda-feira (03). O movimento chamado “Segunda com Carne” ocorreu em pelo menos cinco estados do Brasil, e na região, o protesto ocorreu em frente às agências do Bradesco em Araçatuba, no calçadão da Marechal, e em Birigui, na rua Conselheiro Antônio Prado, no Centro.
Produtores promoveram um churrasco em frente às agências como forma de protesto após a veiculação de peças publicitárias nas redes sociais do Bradesco incentivando o público a não consumir carne às segundas-feiras.
Em Araçatuba foram distribuídos 1.500 espetinhos de carne bovina de forma gratuita à população. Em Birigui, foram entregues 1.000 espetinhos. Segundo uma das organizadoras do movimento em Araçatuba, a pecuarista Liliana Almeida, a publicidade do banco foi uma ofensa ao agronegócio no geral.
“Eu acho que foi uma ofensa muito chata essa história do Bradesco postar uma propaganda da segunda sem carne. A ideia é mostrar que nossa pecuária é sustentável, um exemplo para o mundo, porque nós temos o ano todo uma pastagem verde, que resgata carbono. Nós temos as leis ambientais mais rígidas do mundo, onde somos obrigados a ter reserva legal, área de preservação permanente, que também ajuda no resgate de carbono”, explicou Liliana.
A pecuarista acredita que a liberdade da população de poder se alimentar com o que quiser e na hora que quiser também é importante e foi um dos objetivos do manifesto feito pela classe.
“A gente precisa lutar pela nossa liberdade, de comer o que quer, na hora que quer. Trabalhar no setor que a gente escolher. Esse protesto contra o Bradesco é para a população entender a importância do agro para a economia e para a prosperidade do nosso país”, concluiu.
Para a manifestante Gislaine Targa, que organiza diversos protestos políticos no município, o banco quis “lacrar” com os comerciais veiculados e acabou ofendendo toda uma classe.
“Tentaram lacrar em cima do agronegócio, das pessoas, aquela coisa absurda, e nós sabemos que o agro é tudo nesse mundo. Então é inadmissível que um comercial de um banco que sabe que os seus correntistas são pecuaristas, são do agronegócio, criar um comercial como esse, na base da lacração, tentando ser moderninho, isso afetou diretamente esse público”, afirmou.
O novo presidente do Siran, o Sindicato Rural da Alta Noroeste, Thomaz Neves Rocco, esteve no local e demonstrou apoio ao manifesto.
“Nós sempre estamos ao lado do produtor rural e nesse caso a gente está trabalhando em prol da pecuária para desmistificar as informações que foram veiculadas nesta peça publicitária. A pecuária é sustentável, gera alimento, é uma cadeia produtiva, e o nosso balanço de carbono é positivo”, ratificou.

Caso
O Bradesco veiculou em suas redes sociais uma campanha que mostrava que através de um aplicativo do banco era possível calcular a pegada de carbono. Três influenciadoras deram dicas para reduzir impactos ao meio ambiente e uma delas foi o de reduzir o consumo de carne pelo menos um dia na semana, a chamada “Segunda sem carne”, o que revoltou pecuaristas em todo o país.
O banco retirou a peça publicitária das redes sociais no último dia 24 de dezembro e escreveu uma carta aberta, se retratando com o agronegócio, dizendo que “acredita que promove direta e indiretamente a pecuária brasileira e, por conseguinte, o consumo de carne bovina”.
O protesto em resposta às peças publicitárias do Bradesco foi dado em pelo menos 40 municípios do país em 5 Estados diferentes nesta segunda-feira.

Veja também

Araçatuba bate novo recorde de infecções em 24 horas pela Covid-19

Araçatuba bateu novo recorde de casos positivos de Covid-19 em apenas 24 horas. Foram constatadas …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *