RECOLHER - Equipes fazem a busca nas folhas das palmeiras em busca do inseto DIVULGAÇÃO

Prefeitura e Sucen fazem trabalho de prevenção e combate ao bicho barbeiro

Compartilhe esta notícia!

DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA

A Secretaria de Saúde de Birigui está realizando trabalho de prevenção e combate ao bicho barbeiro, transmissor da doença de Chagas. As atividades de poda das palmeiras com pesquisa do triatomíneo (barbeiro) já foram realizadas na praça do Parque Pinheiros e continuou na sexta-feira (16 na avenida Nelson Calixto.

A ação conta com o apoio técnico da Sucen (Superintendência de Controle de Endemias) de Araçatuba e a parceria da Secretaria de Serviços Públicos. O trabalho continuará na próxima semana nas praças James Mellor e Governador Pedro de Toledo, e na escola municipal Roberto Clark.

Na praça Plácido Negrucci, no Parque Pinheiros, foram capturados 9 bichos barbeiros em três das 42 palmeiras garirobas trabalhadas. Na avenida Nelson Calixto foram encontrados até o momento 21 insetos em três das 36 palmeiras garirobas já pesquisadas. A avenida tem ao longo de sua extensão 57 palmeiras.

Os insetos barbeiros recolhidos pelos profissionais são encaminhados para o laboratório da Sucen em Araçatuba, que fará a análise para saber se estão contaminados ou não com o protozoário Trypanossoma cruzi, agente causador da doença de Chagas.

“Há mais de 25 anos o município não registra casos de insetos contaminados. Mas devemos continuar atentos, por isso, fazemos esse trabalho anualmente para monitoramento e controle do bicho barbeiro”, disse a agente de endemias da Divisão de Controle de Vetores, Rosilene Oliveira Montanholi.

 

ETAPAS DA PESQUISA

Rosilene explica que a pesquisa possui três etapas: a poda das palmeiras para retirada dos resíduos de ninhos, análise do material recolhido e a pulverização das palmeiras onde os barbeiros são encontrados. O trabalho não é realizado nas palmeiras com ovos ou filhotes nos ninhos.

“Estamos fazendo o mutirão para pesquisa do inseto nas palmeiras desses pontos definidos como prioritários, por existirem a presença de pombos e maritacas, que trazem o barbeiro em meios as suas penas. O inseto se abriga nos ninhos e se alimentam do sangue das aves”, comentou Rosilene.

Moradores da cidade e até da zona rural que encontrarem o inseto devem colocá-lo em recipiente plástico e levá-lo até a Divisão de Controle de Vetores (no prédio da Secretaria de Saúde) para que seja enviado para análise. É necessário proteger a mão com luva ou saco plástico para fazer a captura. Informações: (18) 3643-6274.

 


Compartilhe esta notícia!

Veja também

Sistema fotovoltaico não perde eficiência com baixas temperaturas

Compartilhe esta notícia!DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA Um dos mitos mais propagados sobre a energia solar …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *