PONTO DE VISTA

45 MILHÕES TIRADOS DO POVO

Rodrigo Andolfato

Começo este artigo afirmando que o dinheiro é muito melhor empregado em suas necessidades pelo cidadão que pelo governante, o qual sempre promete gastar bem o dinheiro do povo. Só não diz com quem.
Hoje, sexta-feira, dia que normalmente escrevo os artigos de domingo, entrei no portal da transparência para verificar se eu não havia lido errado os dados da arrecadação do mês de junho. Minha surpresa é que o valor já havia subido para 47 milhões. Achei interessante deixar o valor do 45 no título para lembrar a todos que número jamais colocar nas urnas! Seja para prefeito, seja para vereador!
Mas fato é que neste mês que passou, Araçatuba arrecadou 10 milhões de reais a mais que a segunda maior arrecadação para um mês de junho, a qual foi em 2019, com pouco mais de 37 milhões. Para alguns desavisados, ou mal-intencionados mesmo, esse aumento de arrecadação parece ser música para seus ouvidos, e por isso escrevo este artigo para explicar por que não é.
Precisamos lembrar que o Estado nada produz. Tudo que ele faz é ou roubar o dinheiro via impostos ou criar dinheiro do nada. No primeiro caso, ele aumenta os preços das coisas que todos nós compramos colocando “sua parte no lucro” no valor que a gente paga pelo que a gente compra. Ou seja, se vamos ao supermercado e gastamos R$ 600,00 do auxílio emergencial, poderíamos comprar no mínimo um terço a mais de produtos.
Mas o Estado não rouba a riqueza de cada pessoa apenas colocando o preço mais alto nas gondolas de supermercado. Ele ainda rouba descaradamente grande parte dos salários dos trabalhadores. Muitos empresários de vários segmentos, quando colocam todo o custo de ter um funcionário, chega a alcançar valores que superam em 100% o valor líquido recebido pelo trabalhador. Assim, quando um trabalhador recebe líquido no mês R$ 1.300,00, significa que ele poderia estar recebendo até R$ 2.600,00 com o mesmo valor real. Ou seja, sem o estado estaríamos ganhando mais e gastando menos.
Mas não sejamos levianos, quando o prefeito Dilador assumiu a prefeitura, todo arcabouço republicano de extorsão do povo já existia. Então por que o culpamos? Temos que lembrar que em 2016, quando fomos as urnas, e me incluo aqui, estávamos fartos do modelo de gestão petista. Grande parte do dinheiro gasto em nossa cidade era no claro aparelhamento dos cargos comissionados municipais na prefeitura. Fora uma série de gastos absurdos que sabíamos serem inócuos, e eram uma afronta aos investimentos necessários que todo cidadão necessitava.
Deste modo, resolvemos dar um voto de confiança no empresário que dizia ser uma renovação e a antítese do modelo até aquela época. Contudo, o que vimos até agora, após completar 88% de seu mandato, é um aparelhamento ainda maior dos cargos comissionados que havia no governo petista. Pior ainda, gastos tomados como empréstimos que ficarão para futuros gestores pagar, que estão sem o fim pretendido atingido. Ou seja, Araçatuba fez dívidas e não fez o investimento das dívidas contraídas.
Sim pessoal, estamos piores que estávamos. Descobrimos quão pior que o PT pode ser o PSDB. Descobrimos que a Social Democracia se faz para os amigos do sistema e não para aqueles que sustentam o sistema e são extorquidos por ele.
Por essa razão resolvi escrever este artigo, primeiro para mostrar que eu, como todo cidadão deveria fazer, estou atento aos números dos gastos públicos e das receitas auferidas. Sim, um dia quero ser prefeito de Araçatuba, para diminuir drasticamente os gastos públicos para que IPTU e ISS possam ser diminuídos quase a zero e que mais e mais empresas possam vir e trazer bons empregos para nossos cidadãos. Só o emprego é que vai mudar a vida das pessoas de forma definitiva e não as promessas de políticos.
Podemos ser enganados de novo nas próximas eleições? Podemos! Mas pior que ser enganado de novo é votarmos no mesmo 45 que com certeza já nos enganou. Ou seja #45nemnomicroondas!
Rodrigo Andolfato é empresário da Construção Civil, membro do ilan – Ins-tituto Liberal da Alta Noroeste

Veja também

Aluguel até R$ 1.250 foi opção de 60% dos inquilinos na região de Araçatuba

DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA A locação de imóveis residenciais cresceu 8% em novembro em comparação …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *