13.9 C
Araçatuba
segunda-feira, maio 23, 2022

PIB regional cresce 6,4% no acumulado de 12 meses

DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA

Dados divulgados recentemente pela Fundação Seade (Sistema Estadual de Análise de Dados), referente ao desempenho do PIB (Produto Interno Bruto) das regiões paulistas, constatou o crescimento da economia regional.
O PIB da região de Araçatuba (englobando também a região de Andradina) apresentou crescimento de 6,4% no acumulado de 12 meses, tendo alcançado no terceiro trimestre, o valor nominal de R$ 8.286 bilhões e, no acumulado dos três primeiros trimestre do ano (janeiro a setembro), R$ 21.440 bilhões.
A região ficou em quarto lugar no ranking de crescimento estadual, perdendo apenas para as regiões de Campinas (9,9%), Bauru (9,7%) e Sorocaba (9,6%).
Os dados foram levantados e analisados pelo especialista em economia local e regional, professor Marco Aurélio Barbosa de Souza (FAC-FEA).
Segundo o especialista, o desempenho regional no acumulado dos últimos quatro trimestres, foi alavancado pelo setor de serviços (que incorpora também o comércio) com expansão de 7,3%, seguido pelo segmento industrial, cujo crescimento foi de 6,6%. A agropecuária apresentou crescimento de 1,9% no período analisado.
Para o economista, “a expansão dos setores de serviços e comércio, inserem a região no radar de grandes redes, franquias e investidores que estão mapeando oportunidades para aporte de recursos em um contexto de retomada do crescimento”.
Dessa forma, o crescimento de 6,4% do PIB da região, somado ao saldo positivo do mercado de trabalho, ao desempenho do comércio exterior e de abertura de novas empresas, são elementos que evidenciam a recuperação das atividades produtivas regionais no ano de 2021. “Apesar de ainda não termos os dados disponíveis do PIB regional do último trimestre (outubro a dezembro), os resultados apresentados trazem boas perspectivas para o fechamento do ano passado e expectativas favoráveis para 2022, pois o PIB é o principal indicador da atividade econômica (nacional, regional e local), representando a produção de bens e serviços finais. O crescimento do indicador econômico irradia efeitos positivos para o conjunto da economia, repercutindo, em especial, no mercado de trabalho, com a geração de empregos”, explica Souza.

DESEMPENHO DO TERCEIRO TRIMESTRE DE 2021
O PIB do terceiro trimestre apresentou queda de 3,1%, em comparação ao segundo trimestre de 2021 (abril a junho), corroborando com os resultados constatados para o conjunto da economia brasileira. Entretanto, no comparativo de janeiro a setembro de 2021, ante o mesmo período do ano passado, o crescimento consolidado foi de 7,0%.

OPORTUNIDADES E CRESCIMENTO REGIONAL
Para o pesquisador, Marco Aurélio Barbosa de Souza, a região precisa acelerar e qualificar seu ritmo de crescimento e expansão para ampliar sua participação no PIB Estadual que hoje é de apenas 1%. “Vejo que temos grande potencial de crescimento e desenvolvimento, tendo em vista a presença de uma estrutura produtiva formada por empresas tradicionais e inovadoras, de baixa, média e alta complexidade tecnológica, com importantes elos de cadeias produtivas do segmento do agronegócio que estão em pleno crescimento e cuja produção é voltada ao atendimento do mercado interno e externo”, observa Souza.

 

Ultimas Noticias