O abastecimento de água e a estiagem

Compartilhe esta notícia!

Luís Guilherme Bizelli

 

Sabemos que a estiagem é um fenômeno climático causado pela insuficiência de chuva em uma determinada região por um período muito grande e que essa seca afeta de forma impactante o pleno funcionamento de serviços essenciais à vida social e à economia como agricultura, fornecimento de energia elétrica e o abastecimento de água.

Neste ano, esse tema entrou mais cedo na pauta da imprensa regional, o motivo: de acordo com a Agência Nacional de Águas (ANA), a região Noroeste Paulista está classificada como S4, o que significa um estado de seca excepcional, já que, nos primeiros quatro meses de 2021, o índice de chuva foi 45% menor do que o mesmo período do ano passado.

Mesmo antes do anúncio deste cenário, redobramos a atenção em relação ao tema estiagem: o que antes era um assunto de verão, nos últimos anos, tem sido um ponto de atenção o ano todo. Para promover ações preventivas, instauramos um Comitê formado por técnicos preparados para pensar e executar ações que auxiliem na mitigação de possíveis impactos no abastecimento de água em períodos críticos de seca.

A segurança hídrica e a eficiência na gestão do ciclo da água fazem parte dos pilares de sustentabilidade da Iguá Saneamento, controladora da Águas Andradina e da Águas Castilho, junto com a Sabesp. Com essa visão, aplicamos ações para otimizar os nossos processos, da captação à distribuição, e entregar água à população com eficiência e qualidade.

Em ordens práticas, diante desse desafio, atuamos de uma forma sistêmica e estratégica em alguns pontos dos sistemas de água dessas cidades. Um dos trabalhos mais relevantes é o acompanhamento diário dos níveis dos reservatórios e da vazão dos poços – fonte de abastecimento de 100% dos bairros desses municípios.

Algumas ações importantes já estão sendo implantadas desde 2019. Em Andradina, a concessionária investiu em uma importante obra de extensão de rede de água, beneficiando aproximadamente 25 mil moradores dos bairros Nova Esperança, Barbarotto, Benfica, Cunha Bueno, Antena, Centro, Jardim Alvorada, Passarelli, Pereira Jordão e Jardim das Águas. Novos investimentos na rede de abastecimento de água serão realizados ainda este ano.

Em Castilho, os investimentos seguem com foco em melhorias nos sistemas de abastecimento de água da cidade. Um dos destaques é a automação do Sistema Central. Foram instalados painéis tipo CLP (Controlador Lógico Programável) e sensores nos poços. Com isso, as informações passaram a ser enviadas para um software, responsável por organizar e projetar os dados gerados em uma tela de computador. Desta forma, os colaboradores da concessionária conseguem visualizar os status de funcionamento de cada equipamento, observar os níveis dos reservatórios e checar as pressões na saída da rede de abastecimento.

É importante lembrarmos que, quando o assunto é estiagem, tem um outro grande fator no radar: o consumo consciente de água. Para a concretização e sucesso de todo esse trabalho preventivo, o engajamento da população é fundamental. Para isso, preparamos uma campanha de comunicação sobre as ações preventivas e orientações sobre o uso consciente de água que será veiculada, ao longo do ano, nas mídias, nos canais de comunicação da Águas Andradina e Águas Castilho e estará acessível a toda população.

Nosso propósito é garantir que todos os moradores de Andradina e Castilho tenham acesso à água, esse recurso tão precioso, sempre mantendo a preservação do ecossistema ao redor. É isso que nos move todos os dias a fazer diferente, para fazer a diferença!

Luís Guilherme Bizelli, diretor geral da Águas Andradina e Águas Castilho.


Compartilhe esta notícia!

Veja também

FEMINISMO – ser mulher nos dias de hoje é…

Compartilhe esta notícia! Jéssica Brandão Você sabe qual o papel da mulher na sociedade? Talvez …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *