RÉU - Prefeito de Piacatu, Ricardo Lemes, terá que responder por possíveis irregularidades na campanha

Novo prefeito terá de responder por denúncia de compra de votos

DIEGO FERNANDES – PIACATU

O prefeito de Piacatu, Ricardo Lemes (PSDB), se tornou réu em ação que foi protocolada na Justiça por seus principais adversários na última eleição, da Coligação formada pelos partidos Podemos e PT, que o acusou de compra de votos nas eleições suplementares, ocorridas no último dia 3 de outubro, no município.
Na época, a denúncia foi feita no final do mês de setembro, citando o então candidato e sua vice, Beatriz Ramos (DEM), alegando abuso de poder econômico. O pedido era pela cassação de ambos.
Outros dois moradores de Piacatu fazem parte da denúncia também, que tem um vídeo protocolado onde um homem chamado Valdir dos Santos foi filmado descarregando caixas de cestas básicas na casa de sua mãe. Ele mesmo confirma nas imagens o que está sendo descarregado. Foi feito um boletim de ocorrência na delegacia em Piacatu sobre o caso.
No caso do outro morador citado, de nome Luiz Henrique Benvindo, ele diz em áudio gravado que a campanha estava sendo desgastante pelos inúmeros pedidos de cestas básicas e outras coisas, como até pagamentos de IPVA.
Segundo os denunciantes “diversas pessoas foram aliciadas pela campanha dos requeridos, que, sem qualquer pudor, ofereciam dinheiro em troca de voto”, cita trecho da denúncia.
O juiz eleitoral de Bilac, comarca a qual pertence Piacatu, João Alexandre Sanches Batagelo, determinou nesta quarta-feira (20) que os agora réus sejam avisados por meio de cartas. Nelas constarão a denúncia feita pela coligação que teve Markinho do Mazão (Podemos) como candidato. A defesa dos réus deve ser feita em um prazo máximo de cinco dias a contar a partir de ontem (21).

Eleições
Nas eleições de 3 de outubro, Ricardo Lemes recebeu 1.883 votos (57,37%) somando as 14 seções eleitorais de Piacatu, quase o dobro do segundo colocado, Markinho do Mazão (Podemos), que teve 962 votos, ou 29,31%. O vereador José Carlos Totó (PTB) teve apenas 437 votos e ficou na terceira posição, com 13,32% dos votos válidos.
Dos 4.518 eleitores aptos a votar em Piacatu, apenas 3.454 compareceram às urnas no dia 3 de outubro, o que corresponde a 76,44%. A abstenção foi de 23,56%, sendo que 1.064 eleitores deixaram de votar. Foram contabilizados 122 votos nulos (3,53%) e 50 votos brancos (1,45%).
As eleições suplementares em Piacatu ocorreram porque o prefeito eleito no pleito de novembro do ano passado, Euclásio Garrutti (DEM), teve a sua candidatura barrada pela Lei da Ficha Limpa, já que ele condenado por improbidade administrativa.
Garrutti buscava seu quinto mandato e teve seu pedido de registro de candidatura indeferido por um juiz de primeira instância. A decisão foi mantida pelo Tribunal Regional Eleitoral, que rejeitou os embargos de declaração em 2 de dezembro. O Tribunal Superior Eleitoral manteve a decisão do TRE.

Veja também

Dívidas de tributos e taxas municipais podem ser parceladas até o dia 17

DA REDAÇÃO – ANDRADINA A Prefeitura de Andradina alerta aos contribuintes com débitos municipais que …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *