12.9 C
Araçatuba
sexta-feira, agosto 19, 2022

Município dá seis meses para regularização do camelódromo, sob ameaça de interdição

Quase 20 anos após a criação da lei municipal que instituiu o regime de condomínio onde está instalado o camelódromo de Araçatuba, comerciantes do local se veem diante de um desafio. Eles receberam, ontem, de manhã, prazo de seis meses para a regularização elétrica e obtenção do AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros), que até hoje não há. A determinação partiu de representantes da Prefeitura e do Corpo de Bombeiros com permissionários do corredor comercial, na manhã dessa quinta-feira, no Paço Municipal.
O descumprimento da ordem pode levar à interdição do local. Recentes ocorrências envolvendo incêndios, dentre as quais da loja de acessórios Cris Park, há quase um mês no Calçadão, motivaram a cobrança das autoridades.
Segundo o chefe de gabinete da Prefeitura, Deocleciano Borella Júnior, a fiscalização por parte do Ministério Público será mais intensa após os recentes episódios envolvendo incêndio. “Já chegou ofício para a Prefeitura e, logo, a ação se estenderá a vocês (comerciantes), pois o Corpo de Bombeiros agora também tem poder de polícia”, disse ele a uma plateia formada por 50 pessoas, todas ocupantes de espaços no camelódromo.
Já o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Relações do Trabalho, Desenvolvimento Agroindustrial e de Turismo, Marcelo Mazzei, lembrou da lei de implantação de brigada de incêndio e citou que haverá notificação individual para cada proprietário. Também presente ao encontro, o sargento Daniel Nogueira Latapiat, da Polícia Militar, colocou o 20º Grupamento de Bombeiros a disposição para prestar orientações aos vendedores.
Conforme O LIBERAL REGIONAL noticiou no último sábado, o Camelódromo teve seu projeto técnico de combate a incêndio aprovado pelos Bombeiros em fevereiro deste ano. O projeto para regularização elétrica e de combate a incêndio é necessário para que o local receba o AVCB. A fase seguinte será regularização da cessão de uso.
Ao destacar a importância dessa organização, o secretário municipal de Planejamento Urbano e Habitação, Ernesto Tadeu Consoni, citou exemplos de empresas e usinas que tiveram suas operações interrompidas pela ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) por falta de aval dos bombeiros.

Permissionários irão criar comissão para gerir camelódromo

Os permissionários presentes à reunião se manifestaram favoravelmente à criação de comissão para cumprir as exigências voltadas à regularização e, posteriormente, gerir o Camelódromo.
O LIBERAL REGIONAL visitou o espaço durante a tarde. Um dos líderes do movimento em prol da formação da comissão, o comerciante Edvaldo de Andrade Pimentel Júnior, disse que, em dez dias, o grupo já estará formado.
A reportagem apurou que o camelódromo já contou com uma associação que o representasse. Hoje, um dos problemas é buscar o entendimento de todos os responsáveis pelos 118 boxes em prol de causas coletivas, como a reforma e a adequação. Um dos objetivos da futura comissão, diz Júnior, é buscar a individualização da cobrança pelo uso da energia elétrica, cujo valor, hoje é rateado.
“A comissão já está sendo formada e, em breve, iremos formalizá-la junto à Prefeitura. Vamos atuar junto à Secretaria de Desenvolvimento por essa regularização. Representamos um espaço importante. São aproximadamente 250 pessoas que trabalham aqui”, disse Júnior.

ARNON GOMES
Araçatuba

Ultimas Noticias