15.1 C
Araçatuba
sábado, agosto 13, 2022

Lazer e Tempo Livre, Qualidade de Vida e Saúde

PAULO AUGUSTO LEITE MOTOOKA

A dinâmica da agenda diária requer o dispêndio de um esforço físico e mental. Ao longo da semana, do mês e do ano a rotina do trabalho, dos estudos, dos afazeres domésticos e a obrigações sociais e familiares, podem sobrecarregar o EU Biológico, Psicológico e Social. Saber lidar com todas as demandas sem que isso comprometa a saúde não é algo tão difícil, contudo nem sempre são perceptíveis pelas pessoas.
Inúmeros acontecimentos no cotidiano podem ser sentidos como situações desgastantes, ameaçadoras, desconfortáveis, cansativas, intranquilas, logo provocando medos e tensões. Quando isto acontece estamos diante de fatores estressores que de forma crônica ou aguda, pode causar um desequilíbrio interno e provocar patologias diversas, inclusive ser fatal.
Tem-se, no entanto, a certeza de que há um limite para tudo e este ponto final deve ser percebido, sentido e respeitado sempre, sobretudo pelas pessoas que priorizam as obrigações diárias. Por esta razão, torna-se indispensável um descanso, ou seja, um tempo recreativo e que gere prazer, ainda que seja durante as poucas horas livres do dia ou por ocasião dos poucos dias de férias no ano.
Nesta pausa ocorre o almejado LAZER que resumidamente consiste em momentos que não se trabalha. O lazer é algo individual e subjetivo, uma vez que a pessoa descansa e descontrai música, cantando, viajando ou mesmo reunindo os amigos em um happy hour e etc, e quanto usufrui seu Tempo livre.
Percebe-se com isto que a função do lazer é proporcionar uma compensação que minimize ou elimine os efeitos decorrentes de alguns desajustes cotidiano, decorrentes da sobrecarga de trabalho, do estresse, da falta de atividade física e falta de tempo para momentos diversos. É durante o lazer em si mesmo que a pessoa consegue descobrir-se, entrar em contato com sua essência e assim fortalecer-se, e otimizar seus potenciais.
O que comumente ocorre é uma confusão entre a compensação do estresse físico ou mental, com a compensação de sentimentos (frustração, angústia, tristeza, solidão, etc), pois em relação a primeira ocorre uma descontração na forma de lazer, enquanto que na segunda há uma fuga da realidade que busca, por exemplo, aliviar os sofrimentos trabalhando, sem perceber que este comportamento pode se tornar uma nova sobrecarga aos limites.
O vocábulo tem origem no latim licere, que significa “ser permitido”, foi conquistado pelas lutas das classes trabalhadoras com o advento da sociedade industrial e conformado no descanso semanal, redução da jornada de trabalho, e outros. Para tanto, tornou-se a melhor opção durante o tempo livre indivual.
Finalmente, internalizar o LICERE como obrigação, dar uma pausa, repensar os próprios hábitos e rever a agenda de compromissos significa promover Qualidade de Vida, Saúde e Felicidade.

Coronel PM PAULO AUGUSTO LEITE MOTOOKA
Comandante do Policiamento do Interior 10 – Região Araçatuba
Mestre e Doutor em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública
Bacharel em Psicologia, Direito e Especialista em Direito Ambiental

Ultimas Noticias