24.1 C
Araçatuba
quarta-feira, agosto 17, 2022

Janela para troca de partidos é aberta com um terço dos vereadores de malas prontas

ARNON GOMES – ARAÇATUBA

Um dos momentos mais importantes do calendário eleitoral, a abertura da chamada “janela” para vereadores trocarem de partidos sem risco de cassação por infidelidade partidária, começa amanhã e já movimenta intensamente os bastidores políticos de Araçatuba. A reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL apurou que, hoje, pelo menos cinco parlamentares, o equivalente a um terço da atual composição, estão prontos para trocar de legenda. O objetivo deles, todos pré-candidatos à reeleição, é se fortalecerem para o pleito de outubro.
Se o cenário que está se desenhando a sete meses das eleições municipais se confirmar, ocorrerá uma diminuição da representatividade dos partidos políticos da casa legislativa da maior cidade da região. Cidadania (antigo PPS), Solidariedade e o PTB deixarão de ter representantes no parlamento. Isso porque seus únicos vereadores, Arlindo Araújo, Carlinhos do Terceiro e Jaime José da Silva, respectivamente, afirmam que não continuarão nessas siglas.
Ontem, em entrevista ao jornal O LIBERAL REGIONAL, Arlindo confirmou que deixará a legenda pela qual milita há vários anos e irá para o MDB. Mais antigo vereador em atividade na Casa, Arlindo faz oposição ao prefeito Dilador Borges (PSDB), enquanto o Cidadania é também o partido da vice-prefeita Edna Flor.
Sua saída manterá o MDB com dois representantes no Legislativo. Um dos representantes da agremiação hoje na Casa, Flávio Salatino, está de malas prontas para o PV. A chegada de Arlindo, por outro lado, alimenta esperanças emedebistas de manter sua representatividade na Câmara. O outro vereador do partido, Cido Saraiva, recordista de votos nas duas últimas disputas eleitorais, desta vez, deverá concorrer a prefeito. Arlindo, além de ser o decano dos parlamentares, na última eleição, foi o candidato a deputado federal mais votado na cidade.

TUCANOS
Mas é o partido de Dilador que mais poderá ser o maior beneficiado com o troca-troca no Legislativo. Hoje, o PSDB tem duas cadeiras na Câmara, ocupadas pelo vereador Almir Fernandes Lima e pela presidente, Tieza Marques de Oliveira. Com o movimento migratório, o ninho tucano poderá chegar a ter cinco vereadores, número nunca antes alcançado por um único partido político na Casa. O PSDB é um dos possíveis destinos de Jaime.
Atual líder do governo no Legislativo, o petebista viu seu partido passar por reformulação e anunciar a pré-candidatura a prefeito de Domingos Andorfato, que governou a cidade entre 1993 e 1996. Assim, a volta de Jaime para o PSDB, onde militou durante boa parte de sua carreira política, não está descartada.
Outros nomes que também admitem um “namoro” com o partido de Dilador são Carlinhos e Alceu Batista de Almeida Júnior (PV). “Já estamos conversando entre os membros do grupo”, afirma Carlinhos.
Alceu: “Recentemente, tivemos a convenção do PV para a formação do diretório do partido, mas não vou descartar o convite que recebi do prefeito para compor o PSDB. Estou estudando bem a questão. Ele faz muita questão que eu vá para o PSDB e estou seriamente pensando. Vamos ver”. Nesta legislatura, Alceu chegou a ser líder governista. Ele diz que, até sexta-feira, terá uma definição sobre seu destino partidário.

 

Na contramão, líderes articulam fortalecimento de legendas

Em outra direção, vereadores que presidem seus partidos políticos trabalham pelo fortalecimento das agremiações em que militam. Recém-empossado do presidente PSL, Denilson Pichitelli sempre teve as portas abertas no MDB, mas, ao assegurar a liderança em sua atual legenda, preferiu não mudar de legenda. “Por enquanto, vou continuar o PSL. Até porque eu reassumi sua presidência recentemente. E estamos preparando o partido com bons candidatos. Estamos trabalhando para eleger dois vereadores”, declarou o parlamentar.
Situação semelhante admite o vereador Gilberto Batata Mantovani (PL). “O PL tem grupo e a nossa meta é eleger dois vereadores nesta eleição. Por isso, não há nenhum plano para mudar de partido”, afirmou.
Outro vereador que vai continuar onde está Lucas Zanatta, que veste a camisa do PV.
A reportagem procurou os vereadores Antônio Edwaldo Dunga Costa (DEM), Cláudio Henrique da Silva (PMN), Rivael Papinha (PSB) e Beatriz Soares Nogueira (Rede) para saber se pretendem mudar de partido, mas, até o fechamento desta edição, eles não retornaram os contatos.

Ultimas Noticias