Estado propõe salário inicial de R$ 3,5 mil para professores

Compartilhe esta notícia!

ARNON GOMES – ARAÇATUBA

Professores de escolas estaduais de toda a região de Araçatuba serão beneficiados com plano apresentado ontem pelo governador João Doria (PSDB) que prevê, a partir de 2020, salário inicial de R$ 3,5 mil para docentes que trabalhem no regime de 40 horas semanais. O piso, segundo o Estado, representará aumento de 35,4% sobre o valor pago hoje, de R$ 2.585,00. A meta é que, em 2022, último ano do atual governo, um professor da rede estadual com a mesma carga horária comece ganhando R$ 4 mil, alta de 54,7% na comparação com a remuneração atual.
A medida faz parte do plano de reestruturação de carreira dos professores que atuam na rede estadual de educação, apresentado ontem por Doria. Segundo ele, a mudança vai representar o maior crescimento de salário inicial da história de São Paulo. Procurada por O LIBERAL REGIONAL, a Secretaria de Estado da Educação informou que ainda não é possível saber quantos profissionais do ensino serão atigidos com a política, pois vai depender da adesão de novos professores após a proposta ser votada e aprova pela Assembleia Legislativa.
De acordo com o governo tucano, a adesão a esse plano de carreira será totalmente voluntário. Cada professor fará a opção com base em sua própria realidade. Ninguém será obrigado a aderir ao novo modelo – quem preferir permanecer no modelo atual terá os direitos garantidos. “Todos os professores ativos e inativos poderão optar pela estrutura proposta. O educador terá até 12 meses – a contar da data de publicação da lei – para optar pela carreira modernizada. O prazo de adesão poderá ser renovado por decreto do governador”, disse o Palácio dos Bandeirantes, ontem, em nota encaminhada à imprensa.
O investimento previsto pela governo paulista para executar o programa ultrapassa R$ 4 bilhões na folha de pagamento até 2022. O objetivo é atrair talentos para a carreira docente, além de valorizar e formar os professores.
Com esse plano, o Estado pretende ainda valorizar professores mais graduados e com mais tempo de atividade. Eles poderão chegar a um salário de R$ 11 mil, diz o governador. Com a reestruturação de carreira proposta, docentes com mestrado e doutorado terão acréscimo salarial de 5% e 10%, respectivamente.
“O projeto vai proporcionar mais oportunidades de desenvolvimento profissional e formação, além de aperfeiçoamento dos mecanismos de reconhecimento e estímulo profissional ao longo da carreira, alicerçada em 15 etapas – e não mais em 64 referências salariais, como é hoje”, informou o governo estadual.
GRATIFICAÇÕES
O projeto de lei também contemplará ajustes em gratificações de função recebidas pelos integrantes do quadro do magistério. Hoje, diretores de escola titulares de cargo e professores que estão designados na função recebem gratificação de R$ 1.064. A gratificação será absorvida proporcionalmente pelos diretores titulares de cargo e substituída por um novo bônus.
O valor da nova bonificação irá variar em até seis níveis, de acordo com critérios como complexidade da escola, número de alunos e etapas de ensino oferecidas (anos iniciais, finais ou ensino médio), entre outros indicadores. Para as escolas que cumprirem os critérios, a gratificação para o diretor ficará entre R$ 1,2 mil e R$ 3,5 mil. Para as demais funções da escola, também serão criadas gratificações variadas proporcionais.

 

Medida também atinge temporários

Professores temporários que trabalham 40 horas semanais também serão contemplados pela proposta e terão aumento. Hoje, essa categoria recebe R$ 2.585 e passará a ganhar R$ 3,5 mil em 2020 e R$ 4 mil em 2022, valor 54,7% maior. Os professores que lecionam para os alunos dos anos iniciais do ensino fundamental (chamados de PEB I) quanto dos anos finais e ensino médio (PEB II) serão igualmente valorizados – a separação de nomenclatura deixará de existir. Hoje, há cargos e salários distintos para cumprimento de funções semelhantes.
O modelo proposto se baseia em estudos e escuta da rede por meio pesquisas de percepção, grupos focais, seminários, encontros, videoconferências e debates com educadores, diretores de escola e dirigentes.
A proposta tem como referência práticas de resultado observadas em países como Cingapura, Austrália e Canadá, este último especificamente na província de Ontário. “As carreiras são baseadas no desenvolvimento de competências e no mérito. Esses países adotam marcos referenciais de atuação docente, isto é, referenciais sobre o que se espera dos professores que, por sua vez, norteiam o ingresso e a progressão na carreira”, diz o Estado.

 


Compartilhe esta notícia!

Veja também

Final de tarde registra ventos fortes e chuva com granizo em Araçatuba

Compartilhe esta notícia!A tão esperada chuva chegou a Araçatuba no final da tarde deste domingo …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *