SOLUÇÕES - Comunidade deve participar das ações que visam o crescimento harmônico e sustentável

Dia do Urbanismo chama atenção para necessidade de cidades mais sustentáveis

DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA

Na data na qual é celebrado o Dia Mundial do Urbanismo, a AEAN (Associação dos Engenheiros e Arquitetos da Alta Noroeste) e o CREA-SP (Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura do Estado de São Paulo) propõem um debate lúcido sobre a promoção e a criação de soluções de urbanismo. A ideia é contribuir para uma saudável integração dos elementos de uma comunidade. Entre os temas debatidos estão o sistema de transportes, locais para habitação, soluções de lazer e o planejamento de áreas verdes.
Criado com o objetivo de destacar a importância da urbanização como oportunidade para o desenvolvimento global e a inclusão social, o Dia Mundial do Urbanismo também provoca reflexão sobre a necessidade de construção de cidades mais sustentáveis. De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), 85% da população brasileira vive em áreas urbanas. Além de problemas gerados pela urbanização desordenada em grandes centros, as pessoas estão cada vez mais expostas às consequências de eventos climáticos extremos causados pelo aquecimento do planeta. Escassez hídrica, enchentes, desaparecimento da biodiversidade, problemas de saúde e avanço do nível do mar são alguns dos desafios urbanos que podem ser intensificados nos próximos anos.
Em substituição às grandes obras convencionais de infraestrutura cinza, especialistas defendem a implantação de infraestrutura verde em pontos estratégicos das cidades, capazes de gerar benefícios para a população e economia aos cofres públicos. “Precisamos considerar a natureza como solução para muitos de nossos problemas urbanos. Ela é a nossa principal aliada para enfrentar o grande desafio do nosso século, que são as mudanças climáticas”, explica o arquiteto e urbanista Pedro Luiz Parra Petenati, diretor da AEAN (Associação de Engenheiros e Arquitetos Alta Noroeste), que acrescenta: “devemos perceber que fazemos parte da natureza e que devemos procurar novas formas de viver em harmonia com o ecossistema e a biodiversidade que nos cercam também nas cidades”.

Drenagem e jardins
Na maior parte dos centros urbanos, os sistemas de drenagem instalados décadas atrás já não conseguem mais escoar o volume de água das grandes tempestades de verão, por exemplo, que provocam enchentes e geram prejuízos e até mortes. Jardins de infiltração, parques e telhados verdes, que juntos reduzem a quantidade de água que chega aos sistemas de drenagem, são exemplos de como a infraestrutura verde pode ser uma solução inteligente para o planejamento urbano.
Além de absorverem a água da chuva e diminuírem sua velocidade de escoamento até chegarem às tubulações, as áreas verdes também servem como espaços de lazer e bem-estar para a população. Podem contribuir com a preservação da biodiversidade, proporcionando ambientes para a vida de outras espécies.
Em relação aos jardins verdes, o ideal é que sejam instalados em partes mais baixas do terreno, que tendem a ser mais impactados por fortes chuvas, contribuindo para a valorização do espaço público e das propriedades em seu entorno.
Já o telhado verde, auxilia na regulação microclimática das edificações e ajuda a acumular a água da chuva, sobretudo quando usado em conjunto com cisternas. “São formas corretas e eficazes de promover o crescimento urbano, sem inviabilizar o meio ambiente, pelo contrário, promovendo essa junção entre um e outro”, finaliza Petenati.

Relevância
Para a AEAN e o CREA-SP o urbanismo é fundamental para o bem-estar da sociedade. Sendo responsável pelo planejamento e a organização das cidades, cria soluções diante do aumento da população mundial. Isso vai desde o planejamento, com a criação de espaços e serviços a favor da população, até sustentabilidade e novas tecnologias. Mais do que abordar os equipamentos, espaços e processos pertinentes às cidades, o urbanismo tem forte relação com as pessoas e dialoga com ações que favorecem o coletivo.
As duas entidades lembram que o crescimento das cidades interfere na qualidade de vida dos seus habitantes. Cabe ao urbanismo encontrar as melhores resolver questões relativas ao sistema de transporte, a mobilidade, os locais para habitação, os serviços públicos, os locais de lazer e de áreas verdes. E é o urbanista que tem a missão de elaborar o planejamento que ordene e resolva os problemas de crescimento e programe o uso do solo, para que seja possível causar o menor impacto possível ao meio ambiente.

Veja também

Birigui lança projeto de robótica e qualificação profissional para integração nas indústrias

DA REDAÇÃO – BIRIGUI No mês em que completa 110 anos de fundação e 100 …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *