Demanda por cirurgia de cabeça e pescoço registra maior tempo de espera na rede pública

Compartilhe esta notícia!

ARNON GOMES – ARAÇATUBA

Levantamento recém-encaminhado pela Secretaria de Estado da Saúde à Assembleia Legislativa de São Paulo o tempo de espera por atendimento em diferentes especialidades médicas em 17 regiões paulistas.
De acordo com o documento, no DRS-2 (Departamento Regional de Saúde), que inclui Araçatuba e outros 39 municípios da região, cirurgias de cabeça e pescoço são as que levam maior tempo para se efetivar.
Conforme o balanço, o tempo médio entre a data de agendamento e a da efetivação da consulta chegou a 37 dias entre janeiro e junho deste ano. Em todos os departamentos regionais pesquisados, esta foi a maior espera constatada para a especialidade. Em regiões mais próximas, como as de Presidente Prudente e Bauru, por exemplo, esse intervalo alcançou 32 e 15 dias, respectivamente.
O estudo mostra ainda que a segunda especialidade na qual os pacientes mais precisam esperar é a de reumatologia, com tempo médio de 34 dias.
Em outros oito ramos da medicina, a espera chega ou passa de um mês. São elas: cardiologia, cirurgia torácica, cirurgia vascular e endocrionologia e metabologia (30 dias); dermatologia, oftalmologia e neurocirurgia (31); proctologia, gastroenterologia e medicina do adolescente (32); e neurologia (33).
OFTALMOLOGIA
De todas estas, um dos principais avanços observados recentemente foi no combate à demanda por atendimento oftalmológico. Conforme reportagem publicada por O LIBERAL REGIONAL em 8 de março, em dois anos, somente a cidade de Araçatuba conseguiu reduzir pela metade a fila de espera por cirurgia de catarata. Até aquele mês, 247 pacientes aguardavam o procedimento, conforme o departamento de regulação da Secretaria de Saúde. O período de aguardo, até então, chegava a oito meses. No início de 2017, o número chegava a cerca de 500 pessoas.
A realização de convênio do município com o Hospital Central contribuiu significativamente para essa redução. E a tendência é diminuir ainda mais. A cidade ganhará o Hospital do Olho, moderno e com equipamentos de última geração, que será referência no tratamento dos distúrbios da visão, como glaucoma, descolamento da retina, transplante de córnea, catarata e estrabismo. O investimento inicial no empreendimento é superior a R$ 15 milhões.
O HO funcionará no lugar do prédio do antigo centro de processamento de dados do antigo Banespa, no Jardim Nova Iorque, com área total de 5,3 mil metros quadrados e construída de 2,7 mil.
MENORES
Apresentado como resposta a requerimento do deputado estadual Caio França (PSB) sobre a disponibilização de vagas na Cross (Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde), o relatório da Secretaria de Saúde mostra ainda que, nos casos de cirurgia cardiovascular, com tempo média de espera de 13 dias, hematologia e hemoterapia (15) e obstetrícia (18), são as especialidades com atendimento mais rápido.
Quando apresentou o pedido dessas informações, em agosto deste ano, França argumentava que “o assunto regulação de ofertas de serviços de saúde ainda precisa ser aclarado para a população”.

—————-
RETRANCA

Secretaria cria comissões entre Estado e município

Na resposta encaminhada ao legislativo paulista, o secretário estadual de Saúde, José Henrique Germann Ferreira, explica que, em cada DRS do Estado, foi implementada uma CIR (Comissão Intergestores Regional), compostas por secretários municipais de saúde e direção estadual da região.
O objetivo, segundo ele, é promover a integração dos gestores públicos para discussões de problemas, elaboração de propostas/estratégias e aperfeiçoamento de ações pelo sistema de saúde em diferentes níveis.
FUNCIONAMENTO
Todos os serviços executados pelos equipamentos próprios do Estado, como hospitais gerais e AMEs (Ambulatórios Médicos de Especialidades), são ofertados por meio da Cross, considerando a complexidade diagnóstica e terapêutica.
“A Cross congrega as ações voltadas para a regulação do acesso na área hospitalar e ambulatorial, contribuindo para a integralidade da assistência, propiciando o ajuste da oferta assistencial disponível às necessidades imediatas do cidadão”, diz o secretário estadual, no documento.

A3 INFO.jpg


 


Compartilhe esta notícia!

Veja também

Sindicato e vereadores discutem criação de cartilha de cuidados para o comércio durante a pandemia

Compartilhe esta notícia!DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA Com as lojas do comércio funcionando em horário normal, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *