NECESSÁRIO - Nova central de oxigênio foi fundamental para garantir o abastecimento durante momentos críticos da pandemia

CPFL Paulista e Santa Casa de Araçatuba inauguram projetos de eficiência energética

DA REDAÇÃO – Araçatuba

Em cerimônia realizada na Santa Casa de Araçatuba, que contou com a presença de representantes do hospital, CPFL e autoridades, foi inaugurado o projeto de eficiência energética que comtemplou novas usinas de oxigênio e fotovoltaica e a substituição por iluminação LED. A iniciativa, desenvolvida pela CPFL Paulista, faz parte do programa CPFL nos Hospitais e teve investimento de R$ 6 milhões, totalmente custeada pela distribuidora no âmbito do Programa de Eficiência Energética da ANEEL.

Usina de Oxigênio
A substituição dos equipamentos antigos por 3 novas máquinas de última geração para produção de oxigênio aumentou a capacidade de fornecimento aos leitos do hospital e gerou uma redução de consumo da planta de 66%. A energia economizada anualmente é 1.013,53 MWh, o que equivale à energia consumida por 427 residências durante um mês. O sistema evita a emissão de 62,53 toneladas de CO2 na atmosfera – o mesmo que o plantio de 375 novas árvores. Além da economia de energia e redução nos custos de manutenção, a nova planta aumentou a capacidade de fornecimento de oxigênio ao hospital e foi essencial durante os períodos mais críticos da pandemia de covid-19.

Usina Fotovoltaica
Composta por 1.900 placas fotovoltaicas que geram energia a partir da irradiação do sol, a estimativa da companhia é que a usina represente uma economia de cerca de R$ 1,2 milhão ao ano para a Santa Casa, já que o hospital precisará de menos energia da rede da CPFL. A usina tem potência de 650 kWp, o que equivale à energia consumida por 374 residências durante um mês, além de capacidade de geração anual de 885,9 MWh. O sistema evita a emissão de 54,7 toneladas de CO2 na atmosfera – o mesmo que o plantio de 328 novas árvores.

Renovação da iluminação
Além da usina, a distribuidora também substituiu 4.242 lâmpadas menos eficientes por unidades de LED, revitalizando a iluminação interna da Santa Casa. As lâmpadas de LED são até 80% mais econômicas que as incandescentes e até 30% mais que as fluorescentes. Além disso, por durarem mais, exigem menos manutenção.
“Uma economia significativa que dará um novo fôlego para investirmos em medicamentos, equipamentos e o que for necessário para ampliar ainda mais a qualidade dos atendimentos prestados aos pacientes do SUS”, comemora Claudionor Aguiar Teixeira, provedor da Santa Casa de Araçatuba.
“Com esses investimentos, a CPFL ajudou a diretoria da Santa Casa de Araçatuba a resolver mais uma questão que consumia um grande volume de recursos. Seremos sempre gratos por esse apoio porque cada problema que conseguimos resolver representa mais qualidade nos atendimentos prestados”, afirma a tesoureira da instituição, Maria Ionice Zucon.
“O programa CPFL nos Hospitais foi criado para ajudar as cidades onde a companhia atua, tornando mais eficiente e sustentável o consumo de energia de hospitais que são referências para as suas comunidades, como a Santa Casa de Araçatuba. Esta entrega é relevante para a companhia e temos a certeza que contribuirá para o bom atendimento da população”, destaca Roberto Sartori, presidente da CPFL Paulista.

A SANTA CASA
A Santa Casa de Araçatuba, fundada em 1927, é referência em 13 especialidades de alta complexidade para 40 municípios da região. A instituição tem 350 leitos e faz cerca de 700 mil atendimentos por ano. Há setores do hospital, como Unidade de Terapia Intensiva e Centro Cirúrgico, que demandam energia 24 horas por dia.”

CPFL nos Hospitais.
O programa conta com três frentes de trabalho: ações de eficiência energética, investimento em humanização hospitalar e melhorias, além de um programa de doação em conta de energia para hospitais.
Primeiro pilar – conta com investimento de até R$ 150 milhões nas quatro distribuidoras do Grupo (CPFL Paulista, CPFL Piratininga, CPFL Santa Cruz e RGE) para atender cerca de 300 instituições de saúde até o final do projeto. Mais de 180 hospitais públicos e filantrópicos dos Estados de São Paulo e Rio Grande do Sul já contam com ações de eficiência energética promovidas pelo programa CPFL e RGE nos Hospitais.
Segundo pilar – compreende projetos endossados pelo Instituto CPFL divididos em dois eixos: humanização e melhorias. Em humanização, os investimentos objetivam tornar o ambiente hospitalar mais leve e descontraído para pacientes, familiares e profissionais de saúde, agregando brincadeiras, humor e contação de histórias. O eixo de investimentos em melhorias atua na infraestrutura e na aquisição de equipamentos com foco no atendimento oferecido por hospitais públicos. Este eixo também apoia a formação, o treinamento e o aperfeiçoamento de recursos humanos em todos os níveis, além da realização de pesquisas clínicas, epidemiológicas, experimentais e socioantropológicas.
Terceiro pilar – permite aos clientes realizar doações para as instituições de saúde por meio da conta de energia. Isso aumenta a arrecadação dos hospitais, permitindo investimentos na melhoria das condições de atendimento. Por meio da CPFL Total, empresa que faz a gestão de doações via conta de energia, R$ 4,2 milhões foram doados por clientes das distribuidoras do grupo a 105 hospitais.

Reconhecimento
Em 2021, o programa CPFL e RGE nos Hospitais foi reconhecido pela Organização das Nações Unidas (ONU) como um exemplo de boa prática ligada aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). O reconhecimento se deve à integração dos indicadores ambientais, sociais e econômicos gerados pelo CPFL e RGE nos Hospitais, que contribuem diretamente para os ODS, como garantir a distribuição de energia acessível, sustentável e moderna e promover o bem-estar e vida saudável a todos. O presidente da CPFL Energia, Gustavo Estrella, é embaixador do programa Liderança com Impacto da ONU.
O programa CPFL e RGE nos Hospitais faz parte do pilar Valor Compartilhado do plano de sustentabilidade da empresa, que prevê aplicar até 2024 mais de R$ 1,8 bilhão para impulsionar a transição para uma forma mais sustentável e inteligente de produzir e consumir energia, maximizando impactos positivos na comunidade e na cadeia de valor, além de reduzir os impactos gerados pela natureza do seu negócio.

Veja também

Chuva com vendaval e granizo causa transtornos

DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA Chuva com rajadas de vento na tarde dessa segunda-feira (6), em …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *