CONCENTRAÇÃO - Manifestantes se concentram em posto desativado na entrada de Araçatuba

Carreata critica medidas do estado e cobra prefeito por providências para socorrer bares e restaurantes

Compartilhe esta notícia!

DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA

Com a presença de aproximadamente 200 veículos, segundo os organizadores, e com apoio da UECAR, a União das Entidades de Classe de Araçatuba e Região, do Sindicato dos Hotéis, Bares e Restaurantes de Araçatuba, e da Associação Comercial de Araçatuba, foi realizada na manhã de ontem uma manifestação em forma de carreata contra as medidas do estado de lockdown entre 20h e 6h e aos finais de semana.

Diversos empresários e representantes de bares, restaurantes e do comércio, participaram da manifestação. A concentração, que começou por volta das 8h, foi em frente ao antigo posto Absoluto, em frente à rodovia Marechal Rondon.

Vários deles levaram faixas e cartazes pedindo a volta de suas atividades e o retorno ao trabalho e criticando as medidas do governador João Dória (PSDB).

De lá, por volta de 9h, a carreata começou guiada por um carro de som pela rua Marcos Toquetão, descendo a avenida Saudades, até a avenida Joaquim Pompeu de Toledo. Ao virar na avenida, houve a primeira parada estratégica, em frente ao prédio do Ministério Público, que tem sido responsável pelo cumprimento das medidas exigidas pelo estado.

Logo após, a carreata seguiu pela Pompeu de Toledo, até a rotatória com a avenida Brasília, fazendo o contorno e subindo em direção à prefeitura. O buzinaço provocado pelos manifestantes se intensificou no momento em que passaram por um outdoor que pede a saída de João Dória do governo estadual.

Ao chegar na prefeitura, a carreata parou e representantes do movimento fizeram críticas ao prefeito Dilador Borges Damasceno (PSDB) por seguir à risca o decreto estadual, e a vereadores que não apoiaram a manifestação. Foi executado o hino nacional.

Após este movimento, o caminhão de som deu a volta na prefeitura e parou em frente à rodoviária, onde tinha como objetivo fazer com que Dilador ouvisse o clamor dos empresários. Após a última execução do hino nacional, a carreata se dispersou por volta das 10h.

Todo o trajeto foi escoltado pela Polícia Militar e pela Guarda Civil Municipal, que ajudou na orientação do trânsito. Manifestantes usaram apenas uma das faixas das ruas e avenidas, com objetivo de não prejudicar o fluxo de veículos.

Motivo

As medidas anunciadas pelo estado, na última semana, prejudicam o setor de bares e restaurantes, restringindo muito o funcionamento, além de prejudicar também o comércio e os shoppings, que deixarão de funcionar nos dois próximos finais de semana.

Para uma das organizadoras do movimento, a presidente da UECAR, Luciane Pinese, que é dona de um restaurante no município, ela planejava abrir um segundo estabelecimento em fevereiro, mas está insegura devido às medidas do estado.

“Você tem toda uma estrutura por trás disso, para que você possa colocar o seu negócio funcionando. Você fica de mãos atadas, já foi feito um investimento grande nesse segundo, que está pra ser inaugurado. Mas a gente precisa ter uma solidez e uma segurança de que o nosso negócio pode trabalhar, porque nós não sabemos o que acontece que tanta responsabilidade é jogada nas nossas costas e na verdade nós não somos os vilões, nós só queremos trabalhar”, afirmou Luciane em conversa com a reportagem.

Representando o sindicato de bares e restaurantes de Araçatuba, o presidente Euflávio de Carvalho, fez críticas ao governo do estado pela restrição na abertura e pelo aumento de impostos.

“O governo agora está se dando ao direito, não só de cobrar os impostos, mas de aumentar os impostos. Ora, como nós vamos sobreviver se nós não podemos abrir as portas?”, questionou. “Desde o início, bares e restaurantes estão sendo sacrificados ao extremo, e no entanto, a covid segue crescendo. Então, algo está errado. Se fosse os bares e restaurantes naturalmente a covid estava abaixando e não está abaixando, está em ascensão”, completou.

Segundo Euflávio, o objetivo da manifestação é sensibilizar o prefeito para que ele interceda junto ao governador pelo setor em Araçatuba.

“O objetivo é ver se o prefeito nos ajuda junto ao governador e pedir para o governador para ele permitir que o prefeito da cidade governe a cidade dele. O governador a mais de 500km de distância ele não pode saber o que está se passando em Araçatuba, então deixa Araçatuba trabalhar”, explicou Euflávio.

O gerente da Associação Comercial de Araçatuba, Osney Ferracioli, que comandou o movimento orientando os manifestantes no carro de som, estima perda de 30% nas vendas do comércio com o “lockdown” dos dois próximos finais de semana. Ele afirma que a manifestação é uma forma de pedir “socorro” às autoridades.

“O sábado é um dos dias mais fortes para vendas e fechando esses dois sábados, o prejuízo vai ficar em torno de, no mínimo, 30%, porque é um dia forte onde a região vem comprar no nosso comércio, e o comércio estando fechado em pleno sábado, o shopping fechado em pleno final de semana, bares e restaurantes e lanchonetes fechados no final de semana, para toda a cidade”, afirmou. “O comerciante já está com a corda no pescoço, ele não está aguentando mais esta situação que o governo do estado de São Paulo está impondo. Este é um grito de socorro para as autoridades”, completou.

Posição da prefeitura

Logo após o fim da manifestação, a prefeitura de Araçatuba divulgou uma nota à imprensa sobre a carreata e as críticas recebidas pelo cumprimento integral do decreto estadual.

De acordo com a nota, a prefeitura “respeita o ato democrático e entende a dificuldade dos comerciantes” afirmando que mantém um bom diálogo com eles. O texto afirma, porém, que as cidades têm o dever de cumprir as diretrizes do Plano São Paulo e afirmou que é preciso levar em consideração o aumento casos positivos e mortes por covid-19.

A prefeitura finaliza a nota pedindo a colaboração da população para o cumprimento das medidas de segurança para que saúde e economia voltem a funcionar.

 

CRÍTICAS – Faixas estendidas em caminhão de som criticam o governador – DIEGO FERNANDES

 

CARREATA – Carros tomam faixa da avenida Brasília durante manifesto de comerciantes – DIEGO FERNANDES

Compartilhe esta notícia!

Veja também

Adolescente é levado a força em porta-malas de veículo

Compartilhe esta notícia!DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA No domingo (7) à tarde um adolescente de 16 …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *