23.6 C
Araçatuba
sábado, maio 21, 2022

APAE de Araçatuba trata 41 crianças com TEA; atividades marcam dia mundial de conscientização sobre autismo

DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA

Neste sábado, 2 de abril, é dia mundial de conscientização sobre o autismo. A data foi estabelecida em 2007 e tem por objetivo difundir informações para a população sobre o autismo, diminuindo a discriminação. 

Em Araçatuba, alguns locais são especializados no tratamento de pessoas com o TEA (Transtorno do Espectro Autista), como a AMA, a Associação Amigos do Autista de Araçatuba, além da APAE, que também possui atividades específicas para este público.

Atualmente, 41 crianças são atendidas na APAE. Segundo a coordenadora de atendimento ao TEA, Marília Siriani, conscientização facilita, principalmente, para o diagnóstico do autismo.

“A conscientização também leva à informação sobre o transtorno, como características, comportamentos da criança ou do adolescente, o conhecimento, o que a pessoa apresenta, faz a gente identificar e buscar o atendimento necessário”, afirmou. “A conscientização é muito importante, porque ainda tem muita gente que desconhece o transtorno, é aquela coisa, a gente pensa na pessoa com deficiência e imagina. E o autismo não tem cara, então muitas vezes a pessoa não é identificada”, seguiu.

Ela conta que o atendimento feito na APAE é completo e diz que algumas crianças comparecem diariamente, enquanto outras são atendidas entre duas e três vezes por semana.

“Nós atendemos na área da saúde, tenho uma equipe multidisciplinar com: fisioterapia, psicologia, terapia ocupacional, fonoaudiologia, também tem a musicoterapia, e psicopedagogia, e a enfermeira, e também tem as atividades das oficinas em grupo com as monitoras”, explicou.

Características

O conhecimento é muito importante para identificação, por parte dos pais e profissionais de saúde, do diagnóstico de TEA em crianças e adolescentes. 

Marília Siriani comenta que uma das características mais comuns do autismo é a apresentação de um comportamento mais agitado já desde a infância.

“Existem muitos comportamentos, mas de um modo geral, comportamento agitado, muitas vezes agressivo. Boa parte das crianças apresentam auto agressão. Manias, seletividade alimentar, hipersensibilidade tátil, auditiva, isolamento social, elas buscam ficar mais sozinhas, pouca interação em grupos, timidez, muitas vezes apresenta ansiedade e depressão na adolescência”, enumerou.

Ativismo

Solange Neri recebeu o diagnóstico de autismo para o filho, José Felipe, quando ele tinha seis anos de idade. Ela afirma que já havia percebido um comportamento diferente nele desde a menor infância, porém, não tinha a confirmação por parte dos médicos até um incidente que quase tirou a vida de seu filho. 

“Ele era muito nervoso, muito agitado, falou com dois anos, andou com quase três. A gente ficou muito tempo em investigação porque faltava conhecimento dos médicos. Quando o José estava com seis anos, ele teve uma convulsão, ele ficou 15 dias na UTI, nós quase perdemos ele, foi quando a neurologista e a equipe que estava cuidando dele bateu o martelo para o laudo do autismo”, contou.

Depois do diagnóstico, além de cuidar do filho, Solange passou a trabalhar como voluntária na APAE e criou uma página no facebook para compartilhar conhecimento sobre o TEA, além de ter criado um material de aprendizado, o qual distribui de forma gratuita.

“Hoje tenho um projeto chamado Projeto TE Ajudo, que a gente cria material adaptado. Eu sou uma mãe voluntária na APAE Araçatuba e a gente distribui esse material gratuito para as crianças que tem dificuldade no aprendizado”, contou.

A página no facebook se chama “Eu, Ele e o Autismo”, pela qual pais e unidades escolares podem solicitar de forma gratuita o material para os filhos e alunos. 

“Nós temos 180 mil seguidores, nós dividimos materiais adaptados, e lá tem todos os nossos contatos”, comentou Solange.

Atividades

Relembrando o mês de conscientização sobre o autismo, o Shopping Praça Nova está realizando atividades para famílias de pessoas portadoras do TEA.

Nesta sexta-feira (1), teve uma sessão do “escorregado iluminado” e entrega de panfletos com informações sobre o autismo. 

Neste sábado, às 11h, haverá uma sessão de cinema com o ambiente adequado para as pessoas com TEA. O evento é aberto e gratuito para o portador de TEA, sendo que o acompanhante paga meia entrada. 

 

Ultimas Noticias