Home Cidades Araçatuba A saga de competidor que viajou 5,3 mil quilômetros para chegar em Araçatuba

A saga de competidor que viajou 5,3 mil quilômetros para chegar em Araçatuba

6 minutos de leitura
Compartilhe esta notícia!

ANTÔNIO CRISPIM – ARAÇATUBA

No dia 30 de maio, Arlan dos Reis, residente em Boa Vista (Roraima), iniciou a sua saga rumo a Araçatuba para participar das provas de três tambores no 42º Campeonato Nacional da ABQM. Foram 5,3 mil quilômetros percorridos. Porém, mesmo chegando em condições de disputa, não teve como participar. Um dos animais sofreu problema em decorrência da viagem. Eles ficaram em recuperação em Bauru. Arlan veio para Araçatuba e enalteceu o nível do evento. “Jamais tinha visto tanta participação da população” , disse o competidor viajante.
Natural de Goiás, Arlan trabalha com cavalos desde os 16 anos. Hoje, aos 43 anos, atua na formação de novos competidos. “Esteve em São Paulo e há vários anos fui para Boa Vista para atuar nesta área. Já tenho uma escola para as provas de três tambores e outras”, disse o sorridente competidor. Arlan disse que não pode participar agora. Porém, os animais vão ficar em Bauru e ele retornará em outubro para participar das competições da ABQM.

Arlan - Celso - Roraima (3)
Em conversa com a reportagem, Arlan narrou a sua saga. Viajou ele, mais um colega com cinco cavalos. A primeiro trecho, entre Boa Vista e Manais, de 800 quilômetros, foi feito por rodovia. Depois, de Manaus a Belém, de aproximadamente 1,4 mil quilômetros, foram cinco dias de balsa, dividindo espaço com outros veículos. Ele disse que estre trecho da viagem exigiu muitos cuidados, pois os animais tinha que sair do reboque para se movimentar. Até Belém a viagem foi longa e de muita apreensão.
Da capital do Pará, Arlan retomou a viagem rodoviária. Foram mais 2,9 mil quilômetros até Bauru, com muitas paradas ao longo da Belém-Brasília, a BR 153. Perceberam o problema de saúde do animal. Chegaram em Bauru no dia 23 de junho. Todo trabalho foi feito para recuperação do cavalo e deixá-lo em condições de participar da competição. Porém, não foi possível. “Se tivéssemos mais duas semanas, com certeza teríamos condições de disputar”, disse Arlan, que passou por nove estados.
Questionado sobre trazer os animais para disputar em São Paulo, ele disse que é uma forma de mostrar que estão no caminho certo em Rondônia. Arlan disse que pretende retornar em outubro para a disputa.

Arlan Fotos Viagem Roraima (13).jpgEmpresário mantém centros de formação em Manaus e Boa Vista

Os esportes equestres estão longe de ser tradicionais e muito conhecidos em cidades como Manaus (Amazonas) e Boa Vista (Roraima). No entanto, o empresário Celso Herculano Alves e sua mulher, Rúbia Melo, desafiam a lógica e investem a compra de animais de grande desempenho e na manutenção de centros de treinamentos equestres nas duas capitais. É muito mais um hobby do que negócio. O casal, que é proprietário dos cinco animais trazidos por Arlan dos Reis, veio Araçatuba e em leilão, comprou mais dois animais que serão levados para Manaus.
Natural da Paraíba, Celso Herculano Alves foi para Manaus aos 18 anos, “para ganhar dinheiro”, como ele mesmo diz. Hoje, aos 49 anos, ele é um próspero empresário do ramo de distribuição de combustíveis, óleo e lubrificantes, tendo a exclusividade de uma marca para os estados do Amazonas e Roraima.
Quando adolescente, Celso Herculano gostava das vaquejadas, tão tradicionais no Nordeste. Foi exatamente por isso que investiu em haras e centro de formação de formação.
O casal participa com relativa frequência de eventos equestres e não perde oportunidade para negócios. Celso Herculano disse que faz compras, treina e vende.

Arlan - Celso - Roraima (14).JPG

 


Compartilhe esta notícia!