15.5 C
Araçatuba
terça-feira, junho 28, 2022

A realidade do SUS é retratada em livro por acadêmicos de Medicina

DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA

Mostrar o que é o SUS (Sistema Único de Saúde) e suas nuances através do olhar do aluno que acompanha essa realidade em Araçatuba, por meio da metodologia ativa. Essa é a proposta do Curso de Medicina do Unisalesiano, mais precisamente, de acadêmicos do 7º termo que escreveram o livro “Humanização das Políticas Públicas em Saúde: olhar prático sobre o cuidado com as pessoas”.

A obra, que está concluída e deve ser lançada em breve nas redes sociais da Instituição, é composta por 14 eixos relacionados ao tema, com 24 capítulos, sendo que cada capítulo é escrito por um acadêmico e revisado por um docente. No total, quatro professores da Disciplina IESC acompanharam o desenvolvimento desse trabalho. São eles, os enfermeiros e professores Ricardo Burato, Lucila Bistaffa, Luciana Coimbra e Jesiela Passarini.

De acordo comprofessora Lucila, o livro possui uma carga muito forte em relação ao olhar de cada aluno porque, além de ele estar na teoria aprendendo, na prática executando, oferece um olhar diferenciado sobre a situação. “Esse empenho despertou o interesse de outras turmas para fazerem trabalhos parecidos”, explicou.

A docente Luciana disse ter sido muito prazerosa a participação nesse projeto porque pode ver o amadurecimento e o comprometimento dos acadêmicos envolvidos. “O interessante é ver como cada um se expressa e escreve o que vivencia dentro de uma unidade de saúde pública”, completou.

 

HUMANIZAÇÃO

Por sua vez, o professor Ricardo salientou que esse tipo de trabalho agrega muito para a formação de um profissional, pois conseguem ter um olhar mais humanizado, voltado ao cuidado. “Nós quatro, que colaboramos com a criação do livro, somos enfermeiros e temos essa linha de trabalho humanizado, diferenciado”, disse.

Já a professora Jesiela afirmou que a concretização desse livro só foi possível graças à iniciativa de cada um dos acadêmicos. “Eles trilharam um caminho mediado por nós, professores, em busca do conhecimento sobre o assunto a ser descrito. A motivação, a rotina diária e a delimitação do tempo, com certeza, foram fatores que influenciaram a escrita”, frisou.

Na opinião do coordenador do Curso de Medicina, doutor Antônio Henrique Poletto, o conceito de competência vai além de ter o conhecimento, habilidade e atitude; implica em entregar resultados desejáveis. “Nossos acadêmicos e professores estão modificando a realidade do cotidiano da saúde de Araçatuba. Este livro, assim como várias outras ações concretas já realizadas com o SUS, demonstram claramente onde podemos chegar”, definiu.

De acordo com o pró-reitor de Ensino, Pesquisa e Pós-Graduação, Prof. André Ornellas, há um diferencial na formação dos acadêmicos do Unisalesiano: eles seguem a missão difundida pelo fundador dos salesianos, Dom Bosco – “Formar bons cristãos e honestos cidadãos”. “Ou seja, eles entendem a importância da integralidade do ser humano, do serviço prestado e do olhar humanizado”, explicou.

Confira abaixo depoimentos de duas acadêmicas que participaram da obra:

Beatriz Parpinelli Scarpin, 21 anos, 7º termo

Responsável pelo capítulo – “A aplicação bioética no sistema único de saúde”

“A ideia desse projeto surgiu no nosso primeiro ano de Medicina. Hoje, estamos no 4º ano. Sempre fomos um grupo muito bom, na parte teórica e prática, vamos além dos nossos objetivos, sempre questionando, comparando a teoria com a prática, tentando encontrar fatores que influenciam na prática. Em relação ao livro, quisemos colocar a visão que o estudante de Medicina tem do SUS. E cada um dos participantes foi o protagonista dentro do seu capítulo. No meu caso, desde o 1º semestre estudei sobre a bioética, as leis que regem a prática ética e todos precisam entender profundamente como elas funcionam”.

Aline Carvalho Gobi, 26 anos, 7° termo

Responsável pelo capítulo – “Cuidados Paliativos e a Elaboração da Boa Morte”

“Eu ouvi falar sobre o projeto e achei muito interessante, até porque, na época, eu estava passando por uma situação pessoal delicada. Então, pedi para a Prof.ª Lucila se eu poderia escrever sobre Cuidados Paliativos, que é um assunto pelo qual eu já me interessava e que eu via necessidade de ser discutido dentro do cenário proposto pelo projeto. O meu capítulo é referente à elaboração da boa morte e como isso precisa ser trabalhado no meio médico, e com uma equipe multiprofissional. Acho que é um tema difícil de ser tratado, mas que precisa ser incentivado porque é um momento extremamente delicado que precisa ser bem amparado por profissionais capacitados”.

 

 

Ultimas Noticias