18.9 C
Araçatuba
segunda-feira, maio 16, 2022

Maior parte dos imóveis vendidos na região em janeiro tiveram valores parcelados pelos próprios donos

DIEGO FERNANDES -ARAÇATUBA

Mais de 85% dos moradores da região de Araçatuba que compraram imóveis em janeiro de 2022 parcelaram o valor de formas distintas. Os dados foram apresentados em pesquisa feita com 26 imobiliárias da região pelo Creci-SP, o Conselho Regional de Corretores de Imóveis do estado de São Paulo.

De acordo com os dados apresentados pela pesquisa, 85,71% dos imóveis foram financiados ou parcelados direto com o dono. Os parcelamentos direto com o proprietário lideraram com 42,86% dos casos, sendo que outras 28,57% foram financiados pela Caixa Econômica Federal, 14,29% por outros bancos. Apenas 14,29% compraram imóveis à vista. 

Segundo a pesquisa feita, apenas casas foram comercializadas em janeiro deste ano. Não houve negociações do tipo envolvendo apartamentos. Todas as residências vendidas tinham preço de até R$ 200 mil.  

Dentre as negociações, 55,56% foram em regiões nobres, 33,33% em outros bairros e 11,11% no centro das cidades. Mais de 66% dos imóveis vendidos são considerados médios. 

De acordo com o presidente do Creci-SP, José Augusto Viana Neto, a maior parte das negociações terem sido feitas diretamente com os proprietários não são boas para os donos dos imóveis. 

“É uma evidente distorção de mercado os proprietários se verem praticamente obrigados a assumir o papel dos bancos, recebendo a prazo o que poderiam receber à vista”, afirmou o presidente do Creci-SP. “Mesmo com redução de poder aquisitivo e aperto no orçamento, as famílias, se conseguem empréstimo, não hesitam em trocar o aluguel pela prestação da casa própria, ainda que o imóvel seja menor, mais distante e mais simples”, completou. 

De acordo com os dados, o mês de janeiro registrou uma queda de 39,68% no volume de vendas de imóveis na região. A pesquisa do órgão foi feita nos municípios de Araçatuba, Birigui, Auriflama, Ilha Solteira e Santa Fé do Sul.

Aluguel

De acordo com as 26 imobiliárias presentes na pesquisa, as casas foram responsáveis por 75% dos imóveis alugados em janeiro, enquanto os apartamentos ficaram com 25% da fatia.

Em 50% dos casos, os valores das prestações dos alugueis não ultrapassaram o valor de R$ 750 mensais. Outros 25% dos casos têm prestações entre R$ 1.500 e R$ 1.750, e os últimos 25% possuem prestações entre R$ 2.000 e R$ 2.500. 

Os alugueis ocorreram predominantemente nas regiões central e bairros comuns, com 50% para cada uma, com a pesquisa não apontando nenhum aluguel em regiões mais nobres. 

Houve queda de 56,85% nos alugueis de imóveis em janeiro em relação a dezembro do ano passado, de acordo com o Creci-SP. (Com informações do CRECI-SP)

 

Ultimas Noticias