IRREGULAR - Gilson Pimentel teve as contas de 2017 desaprovadas pelo TCE ARQUIVO

 Com várias irregularidades, contas de ex-prefeito serão votadas nesta segunda-feira

Compartilhe esta notícia!

DA REDAÇÃO – MURUTINGA DO SUL

Quatro vereadores de Murutinga do Sul – Adriano Humberto Nunes, o Maninho, João Luiz Pachoaletto, Anuxa Sales e José Ferreira da Silva Filho -, todos do PSDB, vão ser o centro  das atenções na sessão desta segunda-feira (13), quando serão votadas as contas do ex-prefeito Gilson Pimentel (PSDB), relativas a 2017. Devido às várias irregularidades apontadas pelos auditores técnicos, o Tribunal de Contas do Estado decidiu pela reprovação das contas. Agora, a população está atenta para saber qual será a posição dos vereadores, se vão seguir a decisão do TCE e rejeitar as contas ou se vão ignorar as irregularidades apontadas e aprovarem as contas apenas para agradarem o ex-prefeito, cujas contas de 2018 também estão com irregularidades apontadas pelo TCE.

O relatório apresentado pelo TCE tem uma lista de irregularidades apontadas pelos auditores, como déficit no resultado na execução orçamentária superior a R$ 483 mil, com aumento em relação ao déficit do ano anterior; sem recursos disponíveis para pagamento de dívidas de curto prazo; superou o limite de despesa laboral, contrariando a Lei de Responsabilidade Fiscal; cargos comissionados irregulares; pagamento indevido de horas não trabalhadas (servidora trabalhando meio período e recebendo jornada integral e servidora acumulando três cargos indevidamente); acúmulo de férias por servidores; Prefeitura pagou com atraso os empréstimos consignados já descontados, onerando os cofres públicos e várias outras irregularidades.

As justificativas e defesas apresentadas por Gilson Pimentel não foram suficientes para fazer as equipes do TCE mudarem o parecer. Da mesma forma, o Ministério Público de Contas deu parecer desfavorável pelo desequilíbrio econômico-financeiro e excesso de gasto com pessoal.

Diante das irregularidades apontadas e documentos apresentados, o conselheiro Dimas Ramalho, acompanhou o posicionamento unânime da auditoria e do Ministério Público de Contas e emitiu parecer desfavorável à aprovação das contas de Gilson Pimentel. Essa foi também a posição da Segunda Câmara do Tribunal de Contas.

 

CÂMARA

De acordo com a legislação, a Câmara deve votar as contas dos prefeitos. Por isso as atenções estão voltadas para os quatro vereadores aliados de Gilson Pimentel.

 


Compartilhe esta notícia!

Veja também

Salsaretti deve gerar até 600 empregos diretos com aumento de linha de produção em Araçatuba

Compartilhe esta notícia!  A empresa Salsaretti, um braço do grupo Predilecta, em Araçatuba, anunciou nesta …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *