ATUAÇÃO - Durante vários meses, equipes da Polícia Federal realizaram intenso trabalho para apurar as denúncias

Polícia prende suspeito de liderar ataques a Araçatuba na fronteira com o Paraguai

No domingo (3), a Polícia Federal, prendeu o integrante de uma quadrilha de roubos a bancos, suspeito de ser o principal organizador do ataque às agências, em Araçatuba na madrugada do dia 30 de agosto. A ação criminosa envolveu dezenas de bandidos e houve confronto com a Polícia Militar. Dois moradores de Araçatuba foram mortos pelos bandidos e um integrante da quadrilha foi encontrado morto em Engenheiro Taveira e outros possíveis envolvidos também morreram. Um estava no hospital em Araraquara e o outro, o corpo foi deixado em Sumaré, na região de Campinas.

OS PRESOS

De acordo com reportagem do porto Uol, Anderson Meneses de Paula, o “Tuca”, foi um dos quatro alvos de uma operação contra o tráfico na região dos limites entre Ponta Porã e Pedro Juan Caballero (Paraguai). Ele é suspeito de participar da facção, junto a um outro preso preventivamente na ação: William Meira do Nascimento, o “Bruxo”.

As identidades dos detidos fora do Brasil não foram informadas.

CRESCIMENTO DE MORTES

A reportagem aponta que a polícia paraguaia afirma ainda que Tuca é suspeito de ordenar assassinatos nos dois municípios. Nas últimas semanas, o número de mortes teve um aumento significativo, com movimentações do grupo criminoso “Justiceiros da Fronteira” e de uma suposta resposta a eles, por um novo coletivo que denomina “O Crime”.

ESCRITÓRIO DO CRIME

A Operação “Escritório do Crime” envolveu a Polícia Federal brasileira e a Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai e cumpriu mandados de prisão e busca e apreensão nos dois lados da fronteira.

Também foram apreendidos bens, dinheiro em espécie e munições de grosso calibre. Os valores e quantitativos não foram revelados.

Veja também

Homem suspeito de cometer dupla tentativa de homicídio vai a julgamento

A Justiça de Araçatuba julga nessa quarta-feira (1) Sidnei Alves, acusado de cometer dupla tentativa …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *