15.1 C
Araçatuba
sábado, agosto 13, 2022

PM fecha bingo clandestino na área central de Araçatuba

FOTO CEDIDA: THIAGO AUGUSTO

A Polícia Militar de Araçatuba fechou no fim da tarde de domingo (24) um bingo clandestino que funcionava na Avenida dos Araçás, na área central do município. Diversos materiais foram apreendidos no local. Cinco pessoas são investigadas pela prática de jogos de azar.

 

Segundo informações registradas no boletim de ocorrência, policiais militares receberam denúncia anônima via Copom (Central de Operações da Polícia Militar) informando sobre o funcionamento do bingo no local. Diante disso, as viaturas se deslocaram até o endereço e flagraram cerca de 70 pessoas jogando, além dos organizadores e do locutor.

 

A jogatina foi paralisada com a chegada da polícia. Uma mulher, de 39 anos de idade, se apresentou como a gerente do bingo. Ela contou que tinha autorização para fazer a realização, já que a renda seria revertida em prol de instituições filantrópicas. Ela, inclusive disse que entrou em contato com a Polícia Militar e a Delegacia Seccional de Araçatuba.

A mulher contou também que as pessoas que adentravam o local deveriam estar munidas de um quilo de alimento não perecível, porém caso não fornecessem poderiam pagar a quantia de cinco reais em dinheiro. A investigada também apresentou diversos documentos alegando que realizavam o bingo com objetivos filantrópicos. Conforme descrição do delegado plantonista que registrou a ocorrência durante a noite.

 

“Contudo, em que pese a investigada alegar que o bingo encontra respaldo na lei 13.019/14, que em seu artigo 84-B, III autorizaria as OSCIPs (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) a realizarem bingos com o intuito de arrecadar recursos adicionais destinados à sua manutenção ou custeio, o fato é que a lei, em nenhum momento, se utiliza da expressão bingo, limitando-se a dizer que as OSCIPs podem distribuir ou prometer distribuir prêmios, mediante sorteios, vale-brindes, concursos ou operações assemelhadas, não sendo expressa quanto à autorização de bingos”.

 

Além disso, o delegado também analisou outras provas para fundamentar as suspeitas. “Ademais, considerando a estrutura do local onde o bingo se realizava, o número considerável de pessoas que se encontravam no local, a forma de pagamento dos prêmios (em dinheiro), a ausência de documento contábil ou prestação de contas relativa à arrecadação diária do bingo, nem tampouco qualquer documento comprobatório de transferência do dinheiro arrecadado para a referida OSCIP, a ideia que nos passa é a de que a OSCIP foi criada apenas como fachada para o desenvolvimento aparentemente legalizado de verdadeiro jogo de azar”, concluiu.

 

Também foi feito contato com o Centro de Inteligência Policial da Delegacia Seccional de Polícia e verificou-se que já havia uma investigação aberta contra a realização do bingo, inclusive uma operação policial seria realizada nesta semana para fechá-lo.

 

Diante disso, a Polícia Civil apreendeu todos os objetos e enquadrou cinco pessoas na contravenção penal Jogo de Azar, que pode dar até um ano de prisão ou multa. Um inquérito foi aberto pelo segundo distrito policial do município para dar andamento às investigações sobre o caso.

Ultimas Noticias