PF prende 15 pessoas durante operação contra fraudes no Auxílio Emergencial

A Polícia Federal prendeu 15 pessoas na manhã dessa quarta-feira (24) em uma grande operação contra fraudes no Auxílio Emergencial. Outros 54 mandados de buscas foram cumpridos nos estados de São Paulo, Paraná e Goiás. Mais de 200 policiais federais participaram dos trabalhos desde as primeiras horas do dia. As investigações mostraram a existência de duas organizações criminosas atuando na região de Araçatuba, especializadas nesse tipo de fraude.

Foram deflagradas duas operações simultaneamente, nomeadadas de Vida Fácil I e II, justamente por conta da existência de duas organizações criminosas. Segundo a delegada responsável pelas investigações, Daniela Ferreira Mauro Braga, as duas quadrilhas mantinham contato entre si, mas atuavam separadamente.

“Nós decidimos deflagrar as duas operações simultaneamente contra as duas organizações criminosas, justamente para evitarmos as perdas de provas”, explicou.

Aproximadamente 210 policiais cumpriram 15 mandados de prisão preventiva e 54 mandados de busca e apreensão nas cidades de Araçatuba, Bauru, Marília, Birigui, São José do Rio Preto, Anápolis (GO) e Maringá (PR). Os mandados foram expedidos pela 2ª Vara da Justiça Federal de Araçatuba. Até o fechamento dessa edição, 15 pessoas tinham sido presas e duas continuavam foragidas.

INVESTIGAÇÕES

A Polícia Federal iniciou as investigações em Araçatuba no início deste ano, após receber informações da Unidade de Repressão às Fraudes ao Auxílio Emergencial da PF em Brasília (DF), dando conta que, após realização de cruzamento de dados, vários indivíduos foram identificados em diversos auxílios emergenciais fraudados.

“Esta unidade de repressão atua com informações provenientes de um banco de dados que reúne informações estratégicas utilizadas em ação conjunta entre a Polícia Federal, Ministério Público Federal, Ministério da Cidadania, Caixa Econômica Federal, Controladoria-Geral da União, Tribunal de Contas da União e Receita Federal, com o objetivo de desarticular grupos ou organizações criminosas que atuam neste tipo de crime em várias unidades da federação”, informou a delegada.

As investigações confirmaram que duas organizações criminosas especializadas na prática de furto, mediante fraude, do benefício assistencial, com base na cidade de Birigui estavam agindo não só na região de Araçatuba, mas também em outros Estados. Os líderes dos grupos criminosos ostentavam alto padrão de vida, adquirindo veículos de luxo e imóveis.

“Eles roubavam os dados das vítimas que tinham o direito a receber o auxílio emergencial, se cadastravam e utilizavam laranjas para sacar o dinheiro no banco”, complementou.

Até o momento, a PF estima que os prejuízos aos cofres públicos sejam superiores a dez milhões de reais. A Justiça Federal decretou o bloqueio dos bens e valores dos investigados. Durante os trabalhos foram apreendidos diversos veículos de luxo, armas de fogo, dinheiro e até moto aquática.

Os presos foram levados para a sede da Polícia Federal de Araçatuba e prestaram depoimento. Eles serão indiciados pelos crimes de furto, mediante fraude, praticados por meio de dispositivo eletrônico ou informático, além de associação criminosa. Caso sejam condenados poderão pegar até 16 anos de reclusão. As investigações continuam.

Veja também

Homem suspeito de cometer dupla tentativa de homicídio vai a julgamento

A Justiça de Araçatuba julga nessa quarta-feira (1) Sidnei Alves, acusado de cometer dupla tentativa …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *