Secretaria protege ninhos de araras, constrói casinhas e destaca medidas de preservação

Compartilhe esta notícia!

DA REDAÇÃO – TRÊS LAGOAS

A Lagoa Maior já se consolidou como principal cartão postal de Três Lagoas por ser um pedaço da natureza na área urbana, permitindo a harmonização entre as pessoas da cidade com os animais em meio aberto. Além das capivaras e jacarés, já reconhecidos nacionalmente, a natureza presenteou os três-lagoenses com as araras formando ninhos nos troncos das palmeiras existentes na Lagoa.
Entre julho e janeiro, as araras estão em período de reprodução, postura dos ovos e trato com os filhotes e, recentemente, os frequentadores da Lagoa Maior se depararam com o convívio das aves nesses troncos.
Como forma de preservação, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Agronegócio (Semea) iniciou proteção nos troncos onde existem esses ninhos e nos próximos meses irá instalar ninhos artificiais no entorno da Lagoa. Conforme o secretário da pasta, Toniel Fernandes, a medida visa proteger as aves adultas e filhotes.
“Os ninhos estão em troncos baixos e a presença das araras tem chamado a atenção das pessoas. Por mais que não haja má intensão, a aproximação humana e o barulho causa estresse nas aves, o que pode até levar a morte. Esses ninhos serão colocados nas árvores no momento oportuno, criando uma opção para as araras em época de postura de ovos”, esclareceu Toniel.
O biólogo da Semea, André Figueiredo Villar, pontuou cuidados que as pessoas devem ter para preservar as aves, sem deixar de contemplá-las. “As pessoas devem evitar contato físico e aproximação com os ninhos, justamente porque as araras seguem o instinto de proteger seus filhotes. Nós orientamos que as pessoas não usem flash ao fotografar as aves e evitem barulho, pois gera estresse e agitação da ave. Outra coisa prejudicial é dar comida ou qualquer tipo de alimento a elas”, destacou.

SOBRE A ARARA
A arara-canindé (Ara ararauna, Linnaeus, 1758) é uma das mais conhecidas representantes do gênero Ara, sendo uma das espécies emblemáticas do cerrado brasileiro. Presente na América Central e América do Sul, especialmente no Brasil, Bolívia e Paraguai, a espécie não corre risco imediato de extinção, mas há um grave declínio populacional desta ave, em razão da destruição de florestas, poluição e tráfico de animais.

arara azul 01
BELEZA – Presença das araras dá colorido especial à Lagoa Maior

FOTOS -DIVULGAÇÃO


Compartilhe esta notícia!

Veja também

Volta à “normalidade” deve alavancar comércio no dia dos pais; entidade prevê aumento de R$ 2 bi no varejo

Compartilhe esta notícia!DIEGO FERNANDES – ARAÇATUBA Funcionando de forma ininterrupta em horário normal desde o …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *