Home Cidades Polícia Civil de Três Lagoas soluciona dois crimes em menos de 48 horas

Polícia Civil de Três Lagoas soluciona dois crimes em menos de 48 horas

9 minutos de leitura
Compartilhe esta notícia!

MARIANE MARTINS – TRÊS LAGOAS

O SIG (Setor de Investigações Gerais) da Polícia Civil de Três Lagoas (MS) solucionou em menos de 48h dois crimes bárbaros que chocaram a população nesta semana.
Na manhã de ontem (4), os policiais prenderam três dos quatro suspeitos no envolvimento do assassinato de Érica Rodrigues Ribeiro, 29 anos, morta brutalmente na noite de segunda-feira (2).
O corpo da vítima foi encontrado na manhã de terça-feira (3) em uma mata na região da Cascalheira, as margens do Rio Paraná, com diversas perfurações nas costas e nuca provocadas por arma branca. A violência foi tamanha, que o pescoço da vítima ficou completamente dilacerado.
O delegado do SIG, Ailton Pereira, explica que antes da vítima ser morta, ela foi sequestrada no residencial Orestinho. “Conversando com a mãe da vítima, ela nos relatou que na noite de segunda-feira, Érica teria sido abordada em frente de casa por quatro pessoas que estavam dentro de um carro preto, sendo dois homens e duas mulheres. A vítima disse que não poderia sair, porque estava cumprindo pena por tráfico de drogas em regime domiciliar. Os suspeitos teriam pedido um copo d’agua à mãe da vítima e no momento em que ela se dirigiu à cozinha, os sequestradores pegaram Érica pelos cabelos e arrastaram até o carro fugindo do local. Foi então, que após denuncia, encontramos a corpo da vítima”, explica.
Érica foi morta com requintes de crueldade. O delegado, Roberto Guimarães, do 1º DP, esclarece como os investigadores chegaram até os suspeitos. “A vítima foi morta com pelo menos 40 perfurações de arma branca. Com base nisso, conseguimos algumas informações da própria mãe e deste ponto iniciamos diligências e obtemos êxito em localizar três dos quatro envolvidos. Eles estão detidos e a outra suspeita está sendo procurada. O que podemos adiantar é que provavelmente existe envolvimento de organização criminosa pelo fato como a vítima foi executada, possivelmente ela foi submetida ao tribunal do crime por uma facção criminosa que age aqui no Mato Grosso do Sul e no Estado de São Paulo. Com base nessas informações as investigações prosseguem”, ressalta.
Estão presos preventivamente; Leomar Pereira dos Anjos de 22 anos, Daniel da Silva Azevedo de 25 anos e Sandra Fagundes da Silva de 31 anos. Conforme o delegado Guimarães, as diligências continuam para identificar a quarta suspeita do homicídio de 33 anos. O nome não foi divulgado.

Dívida de R$ 4
A Polícia Civil também esclareceu o homicídio registrado na tarde do último sábado (31), no bairro Jardim Oiti. De acordo com o boletim de ocorrência, a vítima identificada como Danilo Soares Santos de 38 anos, foi morta durante uma briga em um bar com um homem que teria ido cobrar uma dívida de R$ 4.
Durante a discussão, o suspeito armado com uma faca desferiu dois golpes no peito da vítima. Danilo foi socorrido pela equipe do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), mas não resistiu aos ferimentos e morreu a caminho do hospital.
Na noite de terça-feira (3), o suspeito identificado apenas como Alexsandro, vulgo “Cachorrão”, foi preso ao ter confessado o crime.
O delegado Ailton, esclarece o fato. “Conforme testemunhas, a vítima estava em um bar com amigos, quando o autor chegou ao local e cobrou uma dívida de R$ 4, referente a uma conta de bar. Foi aí que ele foi logo desferindo golpes de faca contra a vítima. Inclusive, o suspeito chegou a correr atrás de uma das testemunhas. Após o fato, colhemos informações e identificamos um velho conhecido da polícia, trata-se do indivíduo conhecido como “Cachorrão”. Conseguimos localiza-lo na própria residência e diante da presença da mãe, ele confessou ter assassinado Danilo. A faca do crime também foi localizada. Foi decretada prisão preventiva por 30 dias. O inquerido tramitará pelo 1º DP”, esclarece.

Elucidação de crimes
A Polícia Civil de Mato Grosso do Sul é destaque como a que mais elucida homicídios no Brasil, definindo a autoria, materialidade e prisão do envolvido, segundo dados da Sejusp (Secretaria de Justiça e Segurança Pública de MS).
O índice é superior a 73% e se iguala à taxa de recuperação dos órgãos de segurança dos países de primeiro mundo, conforme pesquisa do Instituto Sou da Paz.
Em Três Lagoas, a elucidação de homicídios chega a 100%. O delegado Ailton Pereira, disse que o resultado está relacionado ao trabalho que vem sendo desenvolvido pelas forças de segurança ligadas a Sejusp, com apoio do Governo do Estado e principalmente com ajuda da população. “O três-lagoense tem colaborado com nossas forças e o resultado disso é o volume de crimes esclarecidos. A Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Federal e Ministério Público mantém troca de informações baseado na colaboração da população, que sempre denuncia os crimes. Importante ressaltar que em momento algum o denunciante é identificado. Não estamos aqui para identificar quem denunciou, nossa intenção é esclarecer o crime”, ressalta.

 


Compartilhe esta notícia!