DESAFIO - Produtores de leite da região conseguiram superar os desafios do ano passado e atingir a produção média de 1,2 mil litros de leite por dia

Laticínio de Arapuá encerra 2020 com crescimento médio de 20% na produção

Compartilhe esta notícia!

DA REDAÇÃO – TRÊS LAGOAS

Mesmo com todos os desafios do ano passado, como a pandemia de Covid-19 e a seca, o Laticínio de Arapuá conseguiu fechar 2020 com aumento de 20% na produção de leite tipo C em comparação à 2019. Com o apoio da Suzano, a indústria do leite, situada no Distrito Arapuá, em Três Lagoas (MS), registrou a produção média de 1,2 mil litros por dia de leite e 1 mil litros de iogurte ao mês no decorrer do ano passado.

Os resultados refletem o trabalho de qualificações e consultorias apoiado pela empresa, por meio do PDRT (Programa de Desenvolvimento Rural e Territorial), em parceria com a Associação do Centro Rural de Arapuá, responsável pela gestão do Laticínio.

“A Suzano incentiva e apoia o desenvolvimento social nas regiões onde atua e esse compromisso se torna ainda mais forte diante das adversidades. Por isso, mantivemos as nossas ações de consultoria e qualificação à distância, de forma remota, com o empenho especial no sentido de sensibilizar as famílias em relação aos cuidados pessoais e de biossegurança para que a saúde dos produtores fosse preservada e buscando alternativas para mitigar quaisquer impactos, seja pela pandemia ou pelo período de seca”, destaca Evânia Lopes, consultora de Desenvolvimento Social da Suzano.

“Esperávamos mais de 20% de crescimento. Só que veio a pandemia e o período de estiagem maior do que os anos anteriores. Mas, temos muito o que agradecer, principalmente à Suzano, por meio do PDRT, que é indispensável para o laticínio. Seria impossível sem ele [programa]. Não tenho como descrever a importância desse programa para o manejo e a reforma das pastagens e toda consultoria especializada no campo e agora para o laticínio”, destaca Vanderlei Manoel, presidente da Associação e coordenador do Laticínio de Arapuá.

Dentre as práticas adotadas para mitigar o impacto da estiagem na produção por meio do PDRT, destaca-se a produção de silagem – armazenamento de forragem – para alimentação dos animais. Ações como orientações sobre o manejo de pastagem, rotação de piquetes e, em alguns casos irrigação das pastagens, também foram promovidas pelo PDRT ao longo do projeto.

 

Expectativa

Atualmente, o leite Arapuá é comercializado em 65 estabelecimentos de Três Lagoas, como supermercados e padarias. Há também a venda do leite para sorveterias e unidades hospitalares.  Para 2021, a intenção da Associação do Centro Rural de Arapuá é aumentar a produção leiteira e atingir a capacidade máxima de processamento do leite – dois mil litros de leite por dia. O grupo também espera dar início à produção de derivados do leite com selos Arapuá.

“Queremos chegar mais próximo da capacidade máxima do laticínio. Além disso, estamos em vistas de iniciar a ampliação do laticínio para iniciar a linha de muçarela. A produção de manteiga também está no nosso radar para este ano”, completa Vanderlei.

 

Laticínio

Com investimentos de R$ 1 milhão, por meio do PDRT, o Laticínio de Arapuá entrou em operação em dezembro de 2018 com capacidade para produzir 2 mil litros/dia do leite Tipo C. Inicialmente, a produção média era de 500 litros por dia.  Em abril de 2019, foi iniciada a produção de iogurte.

A associação conta com 50 produtores rurais, destes, 28 fornecem leite para laticínio. A produção média de leite por produtor apoiado pelo PDRT é de 60 litros/dia, aproximadamente.

 


Compartilhe esta notícia!

Veja também

Kits alimentação são preparados considerando as necessidades nutricionais dos alunos

Compartilhe esta notícia!DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA A Secretaria Municipal de Educação e Cultura (Semec) entrega …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *